Consumidor deve preparar o bolso: água sobe 6,94%

As tarifas de água e esgoto de Piracicaba serão reajustadas em 6,94% a partir do dia primeiro de março. O reajuste aprovado esta semana ficou 135% acima da inflação oficial, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo ), que fechou 2017 com alta acumulada de 2,95%.
 
Em sua justificativa, o Semae afirmou que o aumento visa manter o equilíbrio financeiro da autarquia e, ainda, garante a retomada de sua capacidade de investimento para a execução de obras de melhorias da distribuição de água na cidade.
 
O índice foi divulgado ontem após receber a aprovação da Ares-PCJ (Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí). O parecer da agência foi submetido ao Conselho Municipal de Regulação e Controle Social, que também deu aval para a mudança em reunião realizada anteontem. 
 
O conselho é um órgão consultivo, que tem como principal atribuição, avaliar as propostas de fixação, revisão e reajuste de tarifário dos serviços de saneamento básico. Ele é composto por representantes do Semae, das PPPs (Parceiras Público-Privadas) Águas do Mirante e Piracicaba Ambiental, das secretarias municipais de Obras e Defesa do Meio Ambiente, além de usuários e integrantes de organizações não-governamentais. 
 
Nos próximos dias, a diretoria da Ares-PCJ deve publicar uma resolução que, antes de entrar em vigor, também deverá ser publicada no Diário Oficial do Município. Além das novas tarifas, deve ser divulgado o índice de reajuste para os “preços públicos” — taxas de serviços específicos executados, como a troca de hidrômetros, por exemplo — que em 2017 tiveram aumento menor. No ano passado, as tarifas foram corrigidas em 9,98% e os preços públicos em em 6,29%. 
 
A tarifa mínima, para quem consome até 10 metros cúbicos por mês, passará de R$ 33,68 para R$ 36,02. Segundo o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), 56 mil consumidores de Piracicaba estão nessa faixa de consumo. Outros 42 mil, que consomem entre 11 e 15 metros cúbicos de água por mês, devem ter reajustes entre R$ 2,74 e R$ 4,34. A tarifa mínima comercial passará a ser de R$ 83,52 e a industrial de R$ 92,08. 
 
Além de referendar, ou não, o reajuste solicitado pelo prestador de serviços, a Ares-PCJ acrescenta em seus pareceres uma série de recomendações para melhoria no atendimento aos usuários. Essas sugestões para 2018 só devem ser conhecidas após a publicação da resolução.