Contágio por Hepatite C é foco de campanha no Cedic

Para Taglieta, a informação é a melhor forma de prevenção (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Secretaria de Saúde intensifica campanha de testagem rápida para diagnóstico e tratamento da Hepatite C. O trabalho, coordenado pelo Cedic (Centro de doenças Infectocontagiosas), por intermédio do Programa Municipal DST/Aids e Hepatites Virais, é realizado por todas as unidades de saúde da Atenção Básica, que oferecem o teste diariamente, de segunda a sexta-feira. Algumas ações de busca ativa serão realizadas também nos próximos dias pelo Centro Social Cáritas e Mão Acolhedora.

De acordo com o Coordenador do Cedic, Moisés Taglietta, o objetivo é chamar a atenção de um público acima de 40 anos que pode ter sido contaminado num período em que não havia ainda atenção adequada para algumas possibilidades de contágio – como durante tatuagem, tratamento dentário, seringas etc –, mas não sabe que é portadora do vírus. “A informação é a melhor forma de prevenção. É importante que essas pessoas façam o teste e se certifiquem de que está tudo bem com a sua saúde, evitando assim complicações futuras por algo que tem tratamento”, observou Taglietta.

Uma equipe da ONG Mão Acolhedora estará hoje (19), das 10h às 14horas, com um posto de atendimento no Centro Social Cáritas, na rua Nossa Sra. Aparecida, 900, Paulicéia, aberto para atendimento ao público em geral. Segunda (20), das 10h às 17 horas, o teste rápido poderá ser feito na Casa do Hip Hop, na rua Jaçanã Altair Pereira Guerrine, 188, Higienópolis, aberto a toda população. Na terça (21), das 10h às 17 horas, será a vez da Casa de Amparo aos Idosos Cantinho da Vovó Sonia, apenas para os residentes assistidos pela instituição.

A doença não escolhe sexo, faixa etária ou credo. Pelos hábitos de desinfecção e esterilização utilizados no passado, pessoas com mais de 40 anos acabaram por se expor à infecção e muitos nem têm conhecimento. “Por isso é importante que se faça o teste e, em caso de positivo, prossiga com o tratamento oferecido pelo Cedic”, alertou Bruno Campos, coordenador do Cáritas.

Da Redação