Copa América: Última rodada tem brasil em vantagem e Argentina pressionada

Seleção precisa de um empate para avançar, enquanto que a albiceleste precisa vencer para se classificar. (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)

A última rodada da Copa América, que definirá os últimos classificados e as equipes eliminadas começa neste final de semana. No sábado (22), a Seleção brasileira entra em campo às 16h, para enfrentar o Peru, na Arena Corinthians, em São Paulo. No mesmo horário, Bolívia e Venezuela se enfrentam em Belo Horizonte. No domingo (23), às 16h, tem a definição do Grupo B, com os jogos entre Catar e Argentina, em Porto Alegre, e Colômbia e Paraguai, em Salvador. Na segunda-feira (24), às 20h, os confrontos do Grupo C, entre Chile e Uruguai, no Rio de Janeiro, além de Equador e Japão, em Belo Horizonte.

A Seleção Brasileira precisa de um empate para se classificar para as quartas de final e de uma vitória sobre os peruanos para confirmar o primeiro lugar da chave. Após o empate diante da Venezuela, a Seleção saiu de Salvador sob vaias, porém o meia Philippe Coutinho acredita que essa pressão é normal para o país-sede, principalmente se tratando do Brasil. “A gente sempre tem a pressão de fazer bons jogos, de ter o resultado. Estamos jogando em casa, mas temos que ter a tranquilidade, manter o trabalho e o foco dentro de campo para as coisas fluírem”, disse o meia.

O Brasil tem ampla vantagem sobre o Peru, com 11 vitórias, três empates e três derrotas, porém o último confronto, disputado em Foxborough, pela Copa América Centenário, em 2016, terminou com vitória peruana por 1 a 0, gol de Ruidíaz. O tento desclassificou a Seleção em plena fase de grupos e custou o cargo de Dunga, que foi demitido e abriu as portas para o técnico Tite chegar a decisão. Um ano antes, também pela fase de grupos, o Brasil venceu por 2 a 1, gols de Neymar e Douglas Costa (Brasil) e Cueva (Peru).

No outro jogo, a Venezuela, com dois pontos, tenta conquistar mais uma vitória e chegar pela quarta vez nas quartas de final nas últimas cinco edições, enquanto que os bolivianos, precisam vencer para tentar ficar entre as duas melhores terceiras. Na Copa América, ambas as equipes se enfrentaram quatro vezes, com uma vitória para cada lado e dois empates. O último jogo foi em 2007 e terminou empatado em 2 a 2, gols de Maldonado e Páez (Venezuela) e Jaime Moreno e Arce (Bolívia).

A Argentina ainda não venceu nesta Copa América e enfrenta o Catar pressionada para conseguir uma vitória, já que um empate eliminará os argentinos da competição. Presente em quatro das últimas cinco decisões, a última vez que a equipe ficou foi eliminada na primeira fase foi em 1983, porém aquela edição era apenas três equipes por grupo e apenas a primeira avançava de fase. Na ocasião, a albiceleste ficou em segundo no Grupo B, atrás do Brasil. Campeões asiáticos, o Catar está a frente da Argentina em razão do saldo de gols e joga para conseguir uma classificação histórica e para eliminar um campeão mundial de uma competição de peso.

Já classificada e garantida no primeiro lugar, a Seleção Colombiana, cotada como uma das favoritas a disputa, pode até perder o confronto, já que o resultado não afetará a sua classificação. O Paraguai tem dois empates e precisa da vitória para confirmar a segunda posição, que também pode vir com um empate, desde que não tenha vencedor entre Argentina e Catar. O histórico entre as equipes na Copa América é equilibrado, com cinco vitórias paraguaias, quatro colombianas e um empate. No último jogo, em 2016, 2 a 1 para a Colômbia, gols de Bacca e James Rodriguez, com Ayala descontando.

No Grupo C, Chile e Uruguai, os dois últimos campeões da Copa América (A Celeste venceu em 2011 e a Roja foi campeã em 2015 e 2016) voltam a se enfrentar desde o polêmico jogo de 2015. O confronto era válido pelas quartas de final e o Chile venceu por 1 a 0, gol de Isla, porém o jogo ficou marcada em um lance em que o defensor chileno Gonzalo Jara enfiou o dedo no ânus do atacante Edinson Cavani, que reagiu com um tapa na cara do chileno e foi expulso, sendo que o autor da primeira agressão continuou em campo normalmente. O gol do Chile saiu com um jogador a mais. Equador e Japão se enfrentam pela primeira vez na Copa América.

 

Mauro Adamoli
[email protected]