Corpo de Bombeiros atua em três queimadas de grandes proporções

fogo Moradores de condomínio reclamam da poluição. (Foto: Amanda Vieira /JP)

Três queimadas de grandes proporções mobilizaram o Corpo de Bombeiros de Piracicaba na tarde de ontem. De acordo com o tenente e comandante de dois postos da corporação da cidade, Alexandre Garcia, cinco equipes foram mobilizadas para conter as chamas. A ocorrência mais grave aconteceu em uma área particular vizinha ao condomínio Reserva das Paineiras, na avenida das Ondas. Moradores do residencial se queixam dos incêndios constantes no local. As outras duas queimadas – também consideradas incêndios florestais – foram registradas às margens da rodovia Hermínio Petrini, que liga Piracicaba a Charqueada, e outra na região do bairro Santa Teresinha, próximo à antiga base do Pelotão Ambiental

De acordo com psicóloga Daniela Vitorello, moradora do residencial, a cada seis meses ocorrem queimadas no terreno vizinho. Ela contou que no ano passado o fogo atingiu o coqueiro existente no fundo de seu terreno e as chamas passaram para o seu quintal, sendo necessária a intervenção dos Bombeiros. “Tenho crianças e animais, moro aqui há quatro anos e a cada seis meses acontece isso”, relatou. A moradora disse que a administração do condomínio registra Boletim de Ocorrência a cada reincidência das queimadas.

A psicóloga Ieda Norbiato disse que o fogo começou por volta das 12h30 e que às 15h os Bombeiros ainda não tinham iniciado os trabalhos de contenção das chamas. “Meu marido e minha filha sofrem de renite alérgica e minha casa está tomada pela fuligem e fumaça”, relatou.

ACESSO — O tenente do Corpo de Bombeiros, Alexandre Garcia, informou que devido a irregularidade do terreno, as equipes tiveram dificuldades para acessar a área ao lado do condomínio. Segundo o militar, foi preciso utilizar um caminhão da Ecoterra – empresa que presta serviços à prefeitura – para entrar na área. Garcia afirmou que na área foi constatado descarte irregular de móveis, madeiras e aparas de árvores. No local, três equipes atuaram no controle às chamas e o trabalho durou aproximadamente três horas. Após o controle, as equipes seguiram para os outros locais de queimadas. Em época de estiagem, a corporação registra a média de oito queimadas diárias em vários pontos da cidade.

(Beto Silva)