Corretora e fundador são alvos de processo na CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu processo sancionador contra a XP Investimentos e seu fundador, Guilherme Benchimol, após identificar falhas no registro de ordens de investimento. Segundo as regras do mercado mobiliário, os agentes autônomos da XP só podem realizar um investimento após o cliente transmitir a ordem por escrito, internet ou telefone.

A investigação da CVM, porém, aponta que o registro de sete operações só foram feitos após uma auditoria da própria CVM, segundo informou o jornal O Globo.

A XP destacou, por meio de nota, que o problema foi detectado em operações de 2016 e que hoje tem uma tecnologia que impede a realização de investimentos sem o consentimento do cliente por meio do aplicativo.

Para Luis Miguel Santacreu, analista de risco da Austin Rating, a amostra de operações analisadas pela CVM é muito pequena dentro do universo da XP e o caso não deve comprometer a imagem da corretora. “Se eles estivessem liderando em reclamações do Procon, seria mais grave. De qualquer modo, o problema exacerba o risco de se trabalhar com uma enorme quantidade de agentes autônomos.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.