Criança de 3 anos foge de creche e é encontrada na rua em Piracicaba

Garoto passou pelo portão da escola sem ser notado (CLaudinho Coradini/JP Garoto passou pelo portão da escola sem ser notado (CLaudinho Coradini/JP

Uma criança de apenas três anos de idade saiu sem ser vista de uma escola municipal do bairro Algodoal, em Piracicaba. O garoto passou pelo portão, andou pela calçada e atravessou uma rua sem que ninguém na unidade sentisse sua falta. Ele foi encontrado por uma mulher, cem metros distantes da creche. Depois de perguntar aos vizinhos sobre a família da criança, ela e outros moradores bateram à porta da creche, onde a diretora reconheceu o aluno.

O caso aconteceu há uma semana na escola municipal Professor Miecio Cavaleiro Bonilha. Vilma Alves contou que seguia de carro pela rua Pompilho Rafael Flores, por volta das 14h, quando avistou uma criança chorando na calçada. Ela disse que duas mulheres estavam conversando bem próximas e pensou que uma delas fosse a mãe. Cinco minutos depois, Vilma seguia de volta quando viu novamente a criança sozinha na calçada, desta vez chorando.

Decidi parar o carro e ver o que estava acontecendo, vi que as mulheres seguiram sem notar a criança”, contou. A mulher falou que perguntou a um morador se ele conhecia a criança e ele negou. Vilma disse que nesse momento percebeu que o garotinho estava perdido e se aproximou. A princípio a criança rejeitou sua aproximação mas depois ficou mais calma. “Minha preocupação era acalmar aquele garotinho, ele chorava e chama pela mãe apontando para a rua”, lembrou. “O que me chamou a atenção é que logo depois ele veio comigo, então qualquer pessoa poderia ter pegado ele no colo”, lembrou.

Em seguida, Vilma e o morador questionaram as vizinhas sobre a família da criança, mas ninguém o reconheceu. “Uma das mulheres percebeu que ele usava uniforme, foi aí que decidimos ir à escola, onde uma funcionária reconheceu que era aluno de lá”, falou. A diretora foi chamada e confirmou se tratar de um aluno. “Ela (diretora) disse que ele deveria estar dentro da escola”, contou Vilma.

DENÚNCIA 

Preocupada com o fato de a criança sair sem vista, ela disse que registrou uma queixa no 156 e relatou o fato ao vereador Matheus Erler que é presidente da Comissão de Educação da Câmara. O parlamentar protocolou um requerimento questionando a Secretaria de Educação sobre o fato. “Meu objetivo é ter a apuração. Sem pré julgamentos. Sabemos a preocupação de cada servidor da educação. Por isso é importante que tenha consciência que trata-se de um fato isolado. Mas que de nenhuma maneira poderá se repetir”, afirmou. Em nota, a Secretaria de Educação informou que o fato aconteceu no momento em que houve o encontro de duas turmas da escola. A diretora explicou o ocorrido aos pais da criança. Os funcionários foram orientados a não permitir que pais ou responsáveis pelas crianças entrem ou saiam da escola sem que um funcionário esteja no portão.

Beto Silva