,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Médicos priorizam conhecimento e humanização
  • Santa Casa comemora Dia do Médico
  • Unimep comemora 45 anos do programa de pós-graduação em educação

Esalq recebe Orquestra Educacional
Thainara Cabral
11/04/2017 13h50
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
226.jpg

Programa direciona uma conversa com o público sobre compositores e obras (Foto: Arquivo/JP)

A OEP (Orquestra Educacional de Piracicaba) realiza hoje, às 20h, um concerto no Salão Nobre da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), localizado no Edifício Central do campus.

Com regência do maestro Ivan Bueno, o concerto tem cunho didático, pois, além de apresentar o programa voltado à música erudita, a orquestra direciona uma conversa com o público sobre os compositores e as obras executadas.

O evento, realizado pelo Serviço de Cultura e Extensão Universitária da universidade, é gratuito. Depois de duas apresentações no ano passado, a OEP retorna ao Edifício Central da Esalq com um programa que inclui nove obras eruditas com enfoque nos compositores do século 18 e 19.

O concerto será iniciado pela abertura da ópera de Nabuco, de Giuseppe Verdi.

Em seguida, a orquestra executará a primeira parte da opereta de Suppé, O Poeta e o Camponês; o primeiro ato La Traviata, do compositor Verdi; o tema do segundo movimento da sétima sinfonia do Beethoven; coral da cantata Jesus Alegria dos Homens, de Bach; Intermezzo, do autor Mascagni; o terceiro ato Barcarolle da ópera Os Contos de Hoffmann, de Offenbach e a Marcha Eslava, de Tchaikovsky.

De acordo com o maestro Ivan Bueno, responsável também pelos arranjos do programa, a escolha do repertório foi guiada pela vontade de oferecer diversidade.

“Pincelei compositores extremamente importantes para sinfônicas e as músicas são representativas dentro do contexto erudito”, afirmou o regente, que também atua como coordenador e diretor artístico da OEP.

A conversa informal também mostra ao público a estrutura da OEP.

“É um bate papo dentro do limite, sem virar uma palestra e ficar chato. Algo dinâmico para que as pessoas saiam conhecendo as músicas porque é desta forma que trabalhamos, até na questão do repertório porque tento equilibrar obras mais conhecidas com as mais distantes. Nunca faço um repertório apenas com canções desconhecidas, pois pode se tornar entediante e nossa intenção é atrair o público para novos repertórios”, comentou Bueno.

Criada em 2015, a OEP conta com 65 músicos entre 12 a 80 anos. Para o coordenador, o diferencial da OEP é a inclusão de instrumentistas independente da idade.

“Todas as orquestras tem o fator inclusivo no sentido social, mas a exclusão etária é algo presente”, disse o maestro, acrescentando que não encontra diferenças e dificuldades em trabalhar com o grupo, no qual os músicos chegam a ter mais de 60 anos diferença de idade.

SERVIÇO — Concerto da OEP. Hoje, às 20h, no Salão Nobre da Esalq (avenida Pádua Dias, 11, Agronomia). Entrada gratuita. Informações: (19) 3429-4100.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar