,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Polícia Civil apreende 74 quilos de maconha
  • Artistas homenageiam Gilberto Gil em seu aniversário de 75 anos
  • Savegnago inaugura supermercado em julho

Artista plástico Diógenes Moura abre exposição Pisco-Alienação na Bauhaus
Thainara Cabral
14/06/2017 16h26
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
O artista piracicabano Diógenes Moura abre hoje sua primeira exposição individual, a Pisco-Alienação, vista como um convite ao público para embarcar no universo do autor. Abrigada na Escola Bauhaus, a mostra reúne desenhos e telas em acrílico e aquarela, e painéis feitos com spray para representar o cenário urbano em que Diógenes fincou seu repertório de arte nos últimos cinco anos, mais especificamente nos muros da cidade, através do grafitti feito com seus traços característicos e jogo de cores.
 
A abertura da exposição acontece ás 20h e os trabalhos podem ser vistos até o dia 15 de julho, de segunda-feira a sábado. A entrada é gratuita. 
diógenes.jpg

Pisco-Alienação é a primeira exposição individual do artista piracicabano. (Foto: M.Germano/JP)

Alinhado ao conceito de arte contemporânea, Moura reúne ilustrações de diversos seguimentos para compor seu trabalho. Formado em licenciatura plena em artes visuais, o piracicabano relatou que sua primeira exposição individual é fruto de um longo processo de pesquisa em que ele trabalha as experimentações por meio da exploração das artes visuais e suas materialidades a partir de seus suportes. Para o professor de artes, Pisco-Alienação convida o observador a fazer parte e contribuir com uma nova sintaxe. 
 
“As obras são as minhas reminiscências sobre tudo que venho passando e já passei. A alienação é um universo que fui construindo conforme a minha base de estudos. É um processo longo e contínuo, pois até quando não produzo estou estudando a questão mental”, contou Moura.
 
A base de estudos que o artista citou foi elaborada a partir da desconstrução de corpos. “Comecei a construir corpos e depois desconstruí-los. O homem não é a base, mas sim derivado de tudo que está a sua volta”, explicou o artista.
 
Este conceito foi transmitido em obras que retratam a abordagem do homem com a natureza, incluindo passagens orgânicas e não orgânicas, e também a representação do pensamento antropomorfismo, que atribui características ou aspectos humanos a animais, deuses e elementos da natureza.
 
Para dar a ideia de seus grafitis urbanos, o artista fez a representação técnicas de spray em papéis de parede. A mostra também inclui a série Samba, onde Moura retrata musas sambando. 
 
Diógenes Moura relatou que percorreu o caminho inverso da arte pelo fato de frequentar os estúdios de arte antes das ruas. “Passei pela pintura de tecido, tela e o estudo do desenho, só depois fui para a rua. É curioso porque isso envolve a arte contemporânea, que se propõe ser experimental. Dá a ideia de amplitude na arte, algo que não precisa de acabamento e não se importa com traços grossos”, comentou. 
 
SERVIÇO — Exposição Pisco-Alienação. Abertura hoje, ás 20h, na Escola Bauhaus (rua José Pinto de Almeida, 258, bairro Alto). Visitações até o dia 15 de julho. De segunda a quinta-feira, das 8h30 ás 22h, sextas das 8h30 ás 19h, e aos sábados das 8h ás 13h. Entrada gratuita. Informações: (19) 3422-2023.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar