,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Guimarães Rosa é celebrado 50 anos depois de sua morte
  • DonCesão encara os fantasmas da depressão em nova música
  • Liga da Justiça leva aos cinemas superheróis como Batman e Mulher-Maravilha

Salão de Humor tem público de 200 mil pessoas
Thainara Cabral
17/10/2017 09h44
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

A 44ª edição do Salão Internacional de Humor de Piracicaba recebeu público de 200 mil pessoas, segundo a SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo). A mostra principal, o Salãozinho de Humor e mais de 20 exposições paralelas ficaram instaladas no Engenho Central entre os dias 26 de agosto e 12 de outubro. O evento foi realizado pela SemacTur e Cedhu (Centro Nacional de Documentação, Pesquisa e Divulgação do Humor Grá- fico) de Piracicaba e fez parte das comemorações pelos 250 anos da cidade.

Este ano, o Salão teve 2.985 trabalhos inscritos, de 560 artistas, originários de 57 países. Destes, 410, de 34 países, foram selecionados para a mostra principal. A caricatura tridimensional de Bruno Hamzagic, na qual ele retrata o pintor norte-americano Jackson Pollock (1912-1956), um dos nomes mais importantes do expressionismo abstrato, foi a vencedora do prêmio Caricatura e do Grande Prêmio Zélio de Ouro.

“Tivemos um público ótimo. O Salão de Humor é mais um espaço para reflexão, tanto dos artistas quanto dos espectadores, sobre os acontecimentos e personagens mundiais e do Brasil. É um local para reflexão sobre o papel da arte na vida das pessoas”, ressaltou a secretária da SemacTur, Rosângela Camolese.

O diretor do Cedhu e do Salão de Humor, o cartunista Erasmo Spadotto, lembrou que esta edição ficou marcada pelo ineditismo do Grande Prêmio — a premiação de uma caricatura em 3D — e pela visita de Mauricio de Sousa na primeira edição da Feira de Quadrinhos e Humor, que ocorreu de 22 a 24 de setembro. “O prêmio dado a Hamzagic marca uma nova fase do salão, que foi coroado comapresençadopaidaTurma da Mônica e ícone brasileiro das HQs, Mauricio de Sousa. Por meio da arte e do bom humor, o salão escreve a história do país e do mundo. É uma linha do tempo que nos remete a reflexões e risos”, relatou. E acrescentou. “Uma feira de quadrinhos também nasceu neste ano e mais de 5.000 pessoas passaram por ela, que foi palco de lançamentosde títulos,palestras e workshops. Enfim, o Salão de Humor, mais uma vez, termina com a certeza de que a próxima edição será ainda melhor”, comemorou.

Professora de português, Thaísa Pires compareceu ao salão pela primeira vez e disse que a mostra estava bem organizada, o que a fez planejar uma visita dos alunos da escola estadual Dr. Antonio Pinto de Almeida Ferraz, onde é coordenadora da área de linguagens, ao local. “Meus alunos adoraram o pavilhão de recreação, as monitoras foram muito atenciosas. Achamos interessante, também, a exposição de alguns trabalhos de outros alunos da nossa escola no Salãozinho”, falou.

SP — Até novembro é possível ver, em diversas estações do metrô em São Paulo, as obras da exposição paralela Na Linha do Humor, seleção de caricaturas participantes do 43º Salão.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar