,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Emicida celebra a carreira e o bom momento do rap com a gravação do 1º DVD
  • Sequência de 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' ganha data de estreia
  • Em DVD, a face roqueira de Gal Costa

Cerrado é tema de mostra fotográfica
Da Redação
14/11/2017 13h22
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A íntima relação do homem com a natureza é o foco da exposição Cerrado — Povos dos Campos Gerais, assinada pelo fotógrafo mineiro André Dib, que fica instalada no hall do teatro do Sesi durante novembro. A série retrata o modo de vida nos vilarejos da região e as espécies da flora e fauna do Cerrado brasileiro que é, segundo o Ministério do Meio Ambiente, reconhecido como a savana mais rica do mundo. As imagens podem ser vistas gratuitamente de terça a sexta-feira, das 10h às 17h, e em dias de espetáculos.
 
O Cerrado ocupa 22% do território nacional, abrangendo os Estados Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná e São Paulo e do Distrito Federal, além de áreas no Amapá, Roraima e Amazonas.
 
De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o bioma abriga 11.627 espécies de plantas nativas já catalogadas, cerca de 199 espécies de mamíferos, 837 espécies de avifauna, 1.200 tipos de peixes, 180 espécies de répteis e 150 de anfíbios. Contudo, inúmeras espécies de plantas e animais correm risco de extinção. Estima-se que 20% das espécies nativas e endêmicas já não ocorram em áreas protegidas e que pelo menos 137 espécies de animais que existem no Cerrado estão ameaçadas de extinção.
 
Para sensibilizar as pessoas sobre o perigo eminente na região, André Dib visitou povos nativos dos campos gerais, do alto das serras, veredas e campinas para revelar a relação íntima do homem com a natureza através do conhecimento tradicional de manejo da biodiversidade, que é o sustento dos moradores. Para isso, ele realizou diversas expedições a fim de registrar o modo de vida das pessoas e a riqueza natural do Cerrado. Outros biomas como a Caatinga, Pantanal e Amazônia também foram alvo dos cliques do fotógrafo em outras ocasiões. 
 
Apaixonado pela vida ao ar livre, o mineiro já escalou algumas das principais montanhas brasileiras e subiu aos 11 principais picos do país e montanhas da América para fotografar, como Aconcágua, Ojos del Salado, Illimani, Sajama, Parinacota e Cotopaxi.
 
DIB — Fotógrafo desde 2002, André Dib produz reportagens para as principais revistas de natureza, esporte e turismo do Brasil e exterior. Ganhou diversos prêmios nacionais e internacionais com temas relacionados à natureza, entre eles o ABB Photo Competition, em Zurique, na Suíça; dois prêmios Funarte (Fundação Nacional de Artes) e dois Latino-Americanos de Fotografia, presidido pelo fotógrafo da Magnum René Burri. Também levou o primeiro prêmio no Festival Internacional de Filmes de Montanha e foi finalista do prêmio HSBC de Jornalismo, com o tema sustentabilidade.
 
SERVIÇO — Exposição Cerrado — Povos dos Campos Gerais, no Sesi (avenida Luiz Ralph Benatti, 600, Vila Industrial). Visitação: até o dia 30 de novembro, de terça a sexta-feira, das 10h às 17h, em dias de espetáculos ou por de agendamento. Informações: (19)3403-5928.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar