,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Campanha do Agasalho movimenta escolas
  • Rosana Fessel, a Maria da Penha de Piracicaba
  • Moradores de rua abandonam o vício e tentam dar a volta por cima

SemacTur anuncia municipalização do acervo do Museu Prudente de Moraes
Natália Marim
07/02/2018 12h45
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A municipalização e posse definitiva do acervo de 12.120 peças do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, administrado pela SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo), foi anunciada ontem, em coletiva de imprensa. Entre os objetos e mobiliários da casa cultural — todos patrimoniados, documentados e inventariados — estão peças referentes a Prudente de Moraes e à família dele; Luiz de Queiroz, barões de Serra Negra e de Rezende, Sud Mennucci, Cobrinha, Fabiano Lozano e outras figuras piracicabanas. Os materiais, antes da municipalização, pertenciam ao Estado. Segundo a titular da SemacTur, Rosângela Camolese, de um total de 457 museus no Estado, o de Piracicaba é um dos poucos já municipalizados. A entrada no local, por enquanto, é gratuita, entretanto, Rosângela falou que existe a possibilidade de cobrança no futuro.
 
 
A municipalização do museu integra um programa do Estado de São Paulo e tem como objetivo requalificar os espaços para a manutenção apropriada dos acervos. Piracicaba aguarda a transferência há sete anos, o que aconteceu em etapas. Em 2010, a gestão do espaço histórico e cultural passou a ser do município e, em 2013, o termo de transferência do imóvel foi assinado. Todo o acervo passou por higienização, catalogação, digitalização e inventariado de 3 mil folhas, processo que durou nove anos. Em dezembro de 2017, houve a doação do acervo em definitivo.
 
 
“É importante que o acervo e o prédio do museu sejam municipais, já que abrigam a história da cidade por meio dos objetos mobiliários expostos e estrutura antiga da casa de Prudente de Moraes. Além disso, gera maior identificação e proximidade com o público. Agora, as manifestações, a cultura popular e a tradição piracicabana ficarão mais próximas dos visitantes”, disse a coordenadora do museu, Renata Gava.
 
 
Para Rosângela, a municipalização sela o reconhecimento, por parte da administração pública, de que os piracicabanos encontram-se preparados para gerir sua memória e difundir sua cultura por meio de ações do museu municipal. “Esse é um momento bastante significativo para o nosso município, porque, quando recebemos as peças para o nosso acervo, temos mais autonomia para poder fazer trabalhos que reconheçam e trabalhem nossa memória”, disse, acrescentando que os gastos anuais de despesas do museu com manutenção e contas somam R$ 250 mil. O pagamento dos funcionários equivale a R$ 50 mil mensais.
 
 
A gestão municipal agora tem como expectativa realizar mais mostras que valorizem a cultura piracicabana, levando para o acervo artigos históricos que a valorizem. “Um patrimônio histórico traz a preservação da história do local, do povo. A partir de agora, vamos trazer mais exposições, debates para a população”, comentou o prefeito Barjas Negri.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar