,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • As fases de Nara Leão
  • 'Além da 9': Ronaldo deve ganhar série dirigida por Bruno de Luca
  • Há 55 anos, estreava 1ª novela diária da TV brasileira

Pela 3ª vez, Sinfônica participa do Festival de Campos de Jordão
Da redação
12/07/2018 07h52
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
(Rodrigo Alves)
 
A OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) recebeu o convite para integrar pela terceira vez a programação do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, o maior e mais importante evento do gênero na América Latina. A exemplo das participações anteriores, a apresentação será ao ar livre, na concha acústica da praça do Capivari, com regência do maestro Jamil Maluf. Obras de Mozart e Dvorák estarão no concerto, que terá o tenor Jean William como solista e será apresentado ao meio-dia do dia 28 de julho.
 
Jamil Maluf se apresentou pelo menos 15 vezes consecutivas no Festival Internacional de Inverno, com a Orquestra Experimental de Repertório, por ele criada em 1990. Além disso, o maestro atuou como regente da Orquestra do Festival, professor de regência e duas vezes diretor pedagógico. “Integrar uma programação deste festival é muito importante para uma orquestra que passou por uma reestruturação nos últimos quatro anos”, diz o maestro, que é diretor artístico e regente titular da Sinfônica de Piracicaba desde 2015.
 
De acordo com o maestro, o convite veio de Fábio Zanon, coordenador artístico-pedagógico do Festival de Campos do Jordão, em função do retorno positivo nos concertos realizados pela OSP em 2017 e 2016. Nas duas edições, a estimativa é que 3.000 pessoas assistiram o conjunto piracicabano em Campos do Jordão. “A participação da OSP é a prova de que é possível fazer música de qualidade e de forma descentralizada”, disse Maluf.
 
Para a secretária da Ação Cultural e Turismo, Rosângela Camolese, o convite para o retorno da OSP ao Festival de Inverno é uma demonstração de que Piracicaba se mantém como referência nas políticas públicas para a cultura e de que o trabalho realizado na cidade tem dado repercussão nacional. “Estar em um evento como este é uma vitrine para a orquestra, para os instrumentistas e também para a cidade de Piracicaba, que sempre foi conhecida pela pujança cultural e manutenção de suas tradições”, diz Rosângela.
 
Como a agenda no Festival de Inverno será num sábado, o concerto em Piracicaba precisou ser adequado. Assim, a OSP se apresenta no Teatro Municipal Erotídes de Campos, o Teatro do Engenho, em 27 de julho, uma sexta-feira, às 20h. O programa de ambas as apresentações será o mesmo, com quatro árias de Mozart: Fuor del Mar, da ópera Idomeneo; Dies Bildnis ist bezaubernd schön, da ópera A Flauta Mágica, além de Dalla sua Pace e Il mio tesoro, ambas da ópera Don Giovanni. A OSP traz ainda a Sinfonia no. 8, em Sol Maior, op.88, de Antonín Dvorák.
 
“No caso da segunda peça, a escolhemos por se tratar de uma das que contém um dos mais belos solos de violoncelo da literatura sinfônica”, diz o maestro. “Também estamos muito felizes com o fato de o tenor Jean William cantar as obras de Mozart. É um jovem talento, de carisma inquestionável com o público. Com certeza, sua presença abrilhantará ainda mais o concerto ao ar livre em Campos do Jordão” informa Maluf.
 
Na primeira apresentação da OSP em Campos do Jordão, o maestro convidou o bandolinista Fábio Peron, sendo o programa com quatro músicas de autoria do jovem instrumentista, além de Danças Sinfônicas, de Grieg. Em 2017, no retorno da orquestra ao festival, foram executadas peças de Bizet (suítes 1 e 2 da ópera Carmen), Humperdinck (Abertura da ópera João e Maria) e Smetana (O Moldávia).
 
PARCERIAS —As apresentações da Temporada 2018 são realizadas com recursos da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e Secretaria Municipal de Educação, além do patrocínio da Hyundai, Raízen e Oji Papéis Especiais, o copatricínio do Grupo Pizzinatto e das Indústrias Marrucci, via Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, e ProAC (Programa de Ação Cultural), do Governo do Estado de São Paulo, apoio institucional da Empem, Oscip Pira 21 e Cultura Artística, e apoio de mídia da Rádio Educativa FM, Revista Arraso e Jornal de Piracicaba.
 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar