,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • As fases de Nara Leão
  • 'Além da 9': Ronaldo deve ganhar série dirigida por Bruno de Luca
  • Há 55 anos, estreava 1ª novela diária da TV brasileira

Universo das Plantas Aquáticas pode ser vista até 31 de julho
Da redação
12/07/2018 07h56
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
(Divulgação)
 
Ao menos 300 pessoas já passaram pelas salas temáticas e outras 1.300 já estão agendadas para as visitas guiadas à exposição “O Universo das Plantas Aquáticas” do Museu “Luiz de Queiroz”, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) . Os interessados têm até o final de julho para prestigiar a exposição.
 
Os visitantes percorrem o percurso proposto pela exposição, acompanhadas pelos estudantes Charles Albert Medeiros, do curso de Gestão Ambiental, e Felipe Scola, do curso de Ciências Biológicas. Charles, que é um dos monitores do Hidrofitotério da Esalq, grupo de extensão que organiza a exposição junto com o Museu, explica o conceito da mostra. “Propomos aos visitantes um caminho de conscientização ecológica e ambientação ao universo das plantas aquáticas a partir de imagens, literatura, folclore e material didático”. “Por encerrarmos a exposição ao final de julho, aqui no Museu, ainda teremos tempo de receber muito mais pessoas”, disse Charles.
 
O itinerário começa com uma sala que trabalha com conceitos de ecologia, apresentação dos biomas brasileiros e introdução à limnologia, uma especialidade da biologia que estuda as águas interiores, presentes em lagos, rios e reservatórios e sua relação com as comunidades bióticas. No contato com painéis e espécies de plantas que mesmo com água podem ser cultivadas em vasos, fontes de água corrente conferem à mostra um tom de partilha com a natureza. Entre painéis, fotografias, ilustrações, artefatos decorativos, artesanato e muita bibliografia, são mais de 200 itens que seguem envolvendo o visitante neste universo a partir da literatura, da ciência, das lendas do folclore brasileiro, da ornitologia e da arte.
 
A mostra é resultado do trabalho coordenado pelo professor Flávio Gandara, do Departamento de Ciências Biológicas, que gerencia o Hidrofitotério da Esalq e apoia projetos de extensão como o Profissões na Esalq, que, desde 2011, já recebeu mais de 8 mil estudantes de escolas públicas. “É nosso dever devolver à sociedade o conhecimento gerado aqui dentro e assim continuamos fomentando o interesse por essas plantas, que despertaram recentemente o interesse da comunidade científica”, lembra o monitor da exposição.
 
Para que a mostra pudesse se concretizar, os envolvidos contaram com apoio do departamento de Ciências Biológicas e da Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz. Na prática, além de parte do material do acervo do Hidrofitotério e da equipe do Museu, dois ornitólogos, um escritor, uma ilustradora, uma paisagista e duas artesãs trouxeram parte da sua produção para enriquecer ainda mais os aspectos visuais e afetivos das salas temáticas. Um exemplo disso, são os painéis que retratam as lendas da Iara, da Vitória Régia e da Noiva do Rio, que são acompanhados de bonecas de pano que descrevem a relação do folclore brasileiro com as plantas e as águas dos rios.
 
Peças confeccionadas com taboa, ilustrações e aquarelas de aves que mantém relação direta com rios do Pantanal e de outras regiões banhadas por água doce no País compõem ainda o lado belo desse trabalho encantador, que apresenta e destaca o papel social dessas plantas, a partir de seu caráter medicinal, alimentício e artesanal.
 
SERVIÇO - A mostra “O Universo das Plantas Aquáticas” fica aberta no Museu “Luiz de Queiroz” até o próximo dia 31 de julho, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 17h30. A entrada é gratuita. Mais informações pelo e-mail hidrofitoterio . esalq @ gmail .com e museulq @ usp. br, www. facebook. com / hidrofitoterio. esalq ou telefone 19 3429.4305.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar