De pastor a deputado estadual

persona Conhecido como Alex da Madureira, o deputado eleito fala sobre sua vida e o futuro trabalho político. Foto: Claudinho Coradini / JP)

Aos 41 anos, o pastor evangélico piracicabano Alexander Muniz de Oliveira foi o 15º deputado estadual mais votado nas eleições deste ano. Para a campanha, ele adotou o nome de Alex de Madureira numa referência à Assembleia de Deus Ministério Madureira igreja na qual é obreiro há 20 anos e pastor há uma década. Eleito com mais de 118 mil votos pelo PSD (Partido Social Democrático), durante a campanha ele defendeu os valores familiares e a necessidade de comunicação entre a política e a igreja. O então candidato teve o nome indicado pelo líder da Assembleia de Deus, o bispo Samuel Ferreira, com a missão de ser o substituto do deputado estadual Cezinha de Madureira também do PSD, recém eleito para a Câmara Federal. Alex afirmou que encarou a missão como um desafio novo, atendendo a necessidade de renovação política defendida pela sociedade.

Filho do casal Maria Muniz de Oliveira e Antônio Conus Oliveira, Alex é nascido e criado na cidade de Piracicaba e tem duas irmãs, Rita e Giuliana. Solteiro, o deputado eleito é pai de Matheus, de 15 anos. Formado em análises de sistema pela Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e em técnico mecânico pelo Senai (Serviço Nacional da Indústria), ele sempre trabalhou na área metalúrgica e na igreja. Sem passatempo ou atividade preferida nas horas vagas, Alex disse que seu passatempo é o trabalho.

Quando adolescente, começou a trabalhar cedo, aos 15 anos de idade como aprendiz de ajustador mecânico com a intenção de conseguir dinheiro para os estudos. Na igreja, atuou em projetos sociais atento às necessidades de uma representação dos projetos da igreja sobretudo na luta diária da preservação da família e no desenvolvimento dos trabalhos sociais. Alex admite que a sua candidatura vai ocupar o espaço deixado pelo deputado Cezinha, substituto do pastor Dilmo dos Santos, que foi deputado estadual de 2010 a 2014.

O recém eleito pretende dar prosseguimento ao trabalho do ex-deputado estadual Cezinha de Madureira. Por ocupar um cargo na secretaria da convenção estadual da igreja, Alex contou que – durante a campanha – manteve contato constante com pastores de todo o Estado de São Paulo, o que pode ter contribuído em sua campanha. Na época em que foram eleitos deputados estaduais, o pastor Dilmo dos Saltos obteve 90.909 votos em 511 municípios, enquanto Cezinha de Madureira conseguiu 105.521 em 625, dos 645 municípios paulistas e agora, Alex, conseguiu 118.294 votos em 579 cidades no Estado de São Paulo.

O candidato afirmou que sua preocupação, enquanto deputado eleito, será a recuperação das pessoas e o trabalho na prevenção de problemas como a criminalidade e vício nas drogas. “É preciso investir em saúde e educação que são bandeiras que não podem ser esquecidas”, afirmou admitindo que a saúde é deficitária no estado.

O senhor foi o 15º deputado mais eleito no Estado de São Paulo, com um total de 118.294 votos. Como o senhor analisa e recebeu essa votação?
Em primeiro lugar quero agradecer cada voto que recebemos nesta caminhada. Tivemos votos em quase todos os municípios do estado. Nossa avaliação é que a mensagem de proteção e defesa dos pilares da família foi compreendida por todas essas pessoas.

Atualmente o senhor é pastor na igreja Assembleia de Deus Ministério Madureira, como pretende conciliar a função na igreja com o trabalho na Assembleia Legislativa?
Meu mandato vai de alguma forma suceder o mandato do deputado Cezinha de Madureira, que sempre conciliou o trabalho na Assembleia Legislativa e a vida pastoral. Não tem dificuldade para isso. Tem muito trabalho, mas nossa missão será sempre seguir o exemplo de trabalho da nossa liderança, na pessoa do bispo Samuel Ferreira, trabalhando pela obra de Deus, não tem dificuldade que possa nos impedir.

A que o senhor atribui essa votação expressiva? Em sua opinião, o fato de ser pastor evangélico foi determinante para a vitória?
Nossa mensagem foi bem entendida pelo eleitor evangélico e pelo eleitor não evangélico, mas que também preza pela preservação dos valores familiares e sociais.

Durante a campanha, o senhor admitiu que saiu candidato a deputado por orientação da igreja. Eleito, como o senhor pretende atuar na legislatura, a igreja terá influência em seu mandato? Até que ponto?
A Igreja tem um papel fundamental na vida social dos mais necessitados, daqueles que vivem nos lugares mais afastados, ela chega onde muitas vezes o Estado não chega. Este trabalho tem sido feito com excelência pelos políticos ligados à igreja, entre os quais eu me incluo. Um trabalho silencioso, mas que tem feito a diferença em milhões de famílias. Não usaria a palavra influência, mas sim, exemplo.

Como o senhor avalia a atuação de religiosos na política?
Sabemos que é necessária a presença da igreja na política e sabemos também que se faz necessária esta comunicação entre a política e o povo de Deus e que este povo precisa saber que pode e deve ter voz na organização das leis.

Enquanto candidato, o senhor afirmou que sua preocupação será a recuperação das pessoas e o trabalho na prevenção de problemas como a criminalidade e vício em drogas. O senhor já tem algum projeto em mente para estas questões sociais? Como pretende tratar desses assuntos?
Esses são alguns dos muitos projetos já em andamento e muitos sendo elaborados neste momento também. Trabalharemos pela sociedade e pelo desenvolvimento do estado, sempre visando o melhor para a população.

Oposição ou situação, como o senhor pretende se posicionar com relação ao Governo do Estado?
Vamos nos posicionar sempre do lado que trouxer benefícios para a população.

Durante toda a campanha, a palavra de ordem entre os eleitores era a renovação. O senhor é um nome novo, como pretende se distanciar das práticas da velha política?
A política é uma necessidade social e trabalharei sempre para que a política que beneficia a sociedade possa estar a serviço desta sociedade. Trabalhando muito, com seriedade e comprometimento, para poder honrar essa confiança recebida nas urnas.

O senhor é piracicabano porém teve uma votação pulverizada, pretende ter um tratamento diferenciado com a sua cidade natal, como por exemplo, ter um escritório de atendimento em Piracicaba?
Estaremos representando e trabalhando pelo Estado de São Paulo. Realmente, nossa votação foi em quase todos os municípios do Estado. Mas Piracicaba é minha cidade, quero poder ajudar a cidade e a região.

Qual a opinião do senhor sobre o aborto?
Sou a favor de todos os meios possíveis para a manutenção e preservação da vida.

O senhor defende a necessidade de uma reforma política? Em sua opinião , como deve ocorrer essa reforma?
Acho que deve haver um consenso entre políticos, líderes partidários e população, temos que achar um meio termo, que atenda aos anseios da sociedade e também da classe política

Até o início da campanha deste ano o senhor não exercia nenhuma função política, logo não era tão conhecido na cidade e região na política. Como o senhor avalia o apoio recebido em Piracicaba, das pessoas e instituições. Na cidade o senhor recebeu 3.778 votos, ficou dentro do esperado?
Agradeço os votos que recebi na cidade, como já havia dito, nossa votação foi muito pulverizada, mas mesmo assim Piracicaba foi a cidade que obtive mais votos depois da capital. Quero aproveitar a pergunta e agradecer ao JP pela oportunidade que tem nos dado de poder nos comunicar com a população de Piracicaba e região. Agradeço ao pastor Dilmo dos Santos e todos os amigos da Igreja em Piracicaba.

O nome do deputado estadual Cezinha de Madureira foi o escolhido para disputar uma cadeira na Câmara Federal.e foi eleito. Com isso, o senhor praticamente assume o lugar dele na Assembleia Legislativa, por serem do mesmo partido, ou o senhor não concorda com esse termo?
Sim, eu acabo assumindo o lugar do Cezinha e vou dar continuidade aos trabalhos que ele realizou, tudo aquilo que foi conquistado no mandato do César, nós vamos dar continuidade. É uma continuidade sim, conheço o César há mais de 12 anos a gente está junto, trabalhando e andando na igreja juntos, somos da mesma igreja, estamos debaixo da mesma liderança, temos a mesma ideologia e o mesmo pensamento. As relações políticas são as mesmas, estamos no mesmo partido, vamos dar continuidade e trabalhar juntos para fazer algo a mais nos próximos quatro anos.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) terá 52 novos deputados estaduais a partir da próxima legislatura. O resultado das eleições 2018 mostrou que mais da metade dos 94 parlamentares eleitos não tem mandato na Casa hoje, o que representa uma renovação de 55%. Como o senhor avalia essa renovação?
Eu acho essa renovação muito boa e vejo que não aconteceu apenas no Legislativo paulista, aconteceu no Brasil todo, na Câmara Federal, no Senado e em outros estados e na presidência da República. Sair dos partidos considerados os maiores, como PT e PSDB e veio para o PSL, um partido novo, com um nome novo e tudo isso eu acho importante. Acho que o Brasil teve uma renovação na política e isso deve se desenhar nos próximos anos, mas não podemos esquecer de nomes importantes da política que nos fizeram chegar até aqui. Lógico que, se houve erros no passado, precisam ser corrigidos e essa renovação vai valer para isso, corrigir erros que ocorreram no passado.

Como o senhor espera que seja o relacionamento com os outros deputados eleitos de Piracicaba no que se refere as demandas da cidade e região?
Se depender de mim será um ótimo relacionamento, pois estou disposto a fazer o que for possível para poder trazer benefícios para Piracicaba e região.

Como o seu partido (PSD) atuou na campanha para governador do Estado e presidente da República, o apoio foi aos candidatos eleitos?
O PSD se coligou ao PSDB no Estado e no âmbito nacional, então no primeiro turno o apoio foi ao João Doria para o Governo do Estado e ao Geraldo Alckmin era o candidato a presidente pelo PSDB. No segundo turno, mais uma vez o João Doria, que foi o candidato eleito, eu estive com o João Doria, em Piracicaba e em outros municípios de são Paulo, acompanhando ele e para presidente da República acabamos apoiando o Bolsonaro em âmbito nacional e a igreja também.

Qual sua avaliação do processo eleitoral deste ano, no que se refere ao tempo de campanha, burocracia, prazos, gastos, prestação de contas. Para o senhor que participou pela primeira vez do processo, que experiência foi possível tirar de tudo isso?
Como candidato é a primeira que eu participo do processo eleitoral, mas já acompanhou outras eleições como a do pastor Dilmo, em 2010, foi candidato a deputado estadual e eleito com 90 mil votos, fui um dos coordenadores da campanha dele. Na campanha do Cezinha de Madureira, que foi eleito com 105 mil votos, participei da campanha. Achei esse processo eleitoral muito bom, a questão do tempo de campanha foi satisfatório. Acho que foi uma parte da reforma política que funcionou. Quanto a burocracia, prazos, gastos, achei a prestação de contas mais rigorosa, bem mais rigorosa e com prazos mais curtos. Eu tive a informação, nesta semana, que eu tive as contas aprovadas. Graças a Deus, mas a minha avaliação é de que todo o processo foi positivo. Minha experiência foi muito boa e acho que estamos no caminho certo.

O que os eleitores do deputado Alex de Madureira podem esperar nesses próximos quatro anos do seu mandato?
Muito trabalho. Muita seriedade e compromisso com a população de São Paulo. Quero poder fazer a diferença. Fazer o melhor por São Paulo e pelo Brasil.

(Beto Silva)