Dedini deve pagar 95% das dívidas trabalhistas

Nesta semana, a Justiça liberou aproximadamente R$ 14 milhões da Dedini Indústrias de Base, provenientes do desbloqueio de recursos, e a proposta da empresa é quitar 95% do atual quadro de credores trabalhistas (da Classe I — Trabalhista). 
 
“O valor, que já foi remetido ao processo, será rateado para mais de 500 ex-funcionários, com o teto para rateio de R$ 60 mil por credor. Valores inferiores a esse teto terão seus créditos quitados integralmente. A lista de credores trabalhistas que receberão o rateio, tanto concursais como extraconcursais, já se encontra disponível no processo da recuperação judicial”, informou a empresa, por meio de nota.
 
Segundo a assessoria, a Dedini chegou a este pagamento com a liberação dos R$ 14 milhões, somados aos R$ 21,5 milhões provenientes da venda do terreno do estacionamento do Shopping Piracicaba, liberados em 2017, e também com os valores que a empresa está cumprindo com os pagamentos mensais previamente definidos no Plano de Recuperação Judicial. “A Dedini não tem medido esforços para honrar seus compromissos”, disse a consultora econômica Waléria Araújo, da Siegen, consultoria independente que assessora a empresa.
 
Já o advogado Júlio Mandel, assessor jurídico da Dedini, ressalta que a empresa vem cumprindo o plano de recuperação aprovado pelos credores. “E cada passo do plano vem sendo acompanhado pela Administradora Judicial Deloitte. As ágeis decisões do magistrado vêm concedendo segurança jurídica às partes, permitindo que a Lei de Recuperação de Empresas seja aplicada com efetividade, propiciando a recuperação de uma empresa viável e tradicional.”