Dedini inicia projeto ambiental destinado a alunos da rede pública

água Empresa quer conscientizar sobre uso correto da água. (Foto: Divulgação)

A Dedini Indústrias de Base recebeu ontem 35 alunos do sétimo ano da Escola Estadual João Alves de Almeida, do Distrito de Tanquinho. A visita monitorada marca a abertura do projeto que, mensalmente, receberá estudantes de escolas da rede pública para conhecer as ações ambientais desenvolvidas pela empresa.

A ideia, segundo Igor Serra, do Departamento de Meio Ambiente da Dedini, é mostrar a preocupação da empresa com o meio ambiente e influenciar positivamente não apenas os colaboradores, mas a comunidade do entorno, difundindo a consciência sobre o uso correto da água e a preservação do manancial.

A Dedini está localizada em área atendida pela Microbacia do Ribeirão Guamium, utiliza suas águas para uso humano e industrial e, em contrapartida, desenvolve ações de monitoramento, com análises mensais das principais nascentes até o ponto de captação na empresa, e preservação daquele manancial.

Os estudantes da escola de Tanquinho conheceram o modelo ambientalmente correto de produção adotado pela empresa, o que inclui o reuso da água retirada do Guamium e a manutenção de um viveiro sustentável de mudas, construído com sucata e operado com água de coleta de chuva e energia produzida na empresa.

“O viveiro dá sustentação para o projeto de recuperação da mata ciliar da Microbacia do Guamium, parte do Projeto Água, desenvolvido pela Dedini. O manancial é tão importante, que iniciamos o projeto da visita com as escolas que estão na região dessa microbacia”, comenta Serra.

Ao final da visita – em que as crianças também conheceram a história da Fundição Dedini e dos metais – os alunos plantaram 10 mudas de espécies nativas em área da empresa, sob a supervisão do Departamento de Meio Ambiente da Dedini. O mesmo departamento entregou a cada um dos visitantes uma muda produzida em seu viveiro (tendo em vista que a escola desenvolve ações de caráter ambiental) e oferece suporte técnico para as atividades desse plantio.

Segundo a professora Daniele Barbosa, que coordena o projeto da escola de Tanquinho, batizado de “Salvando o Guamium”, o mais importante é saber que a Dedini e toda a comunidade do entorno estão envolvidas em proteger o Guamium, unindo forças para sua preservação.

No projeto realizado na escola, de caráter multidisciplinar, são desenvolvidas ações pedagógicas. Recentemente, a escola pediu à Prefeitura de Piracicaba o desassoreamento das nascentes do ribeirão que ficam em Tanquinho.

ÁGUA Em 2001, ano em que a Fundição Dedini começou a ser construída, o Conselho e a diretoria da empresa, com o apoio da Fundação Mario Dedini, decidiram pela implementação de um projeto ambiental, tendo em vista o que se projetava em termos de capacidade produtiva: até 40 mil toneladas/ano e peças de até 45 toneladas. Desde então, o Projeto Água reduziu 29,5% o volume de água captada do Ribeirão Guamium.

(Da Redação)