Desemprego em alta: mais um desastre do governo Bolsonaro

O Governo de Jair Bolsonaro é um desastre para o povo em todos os sentidos. É um desastre político-institucional, pois estamos em crise permanente desde a posse, inclusive com conflitos dentro do Governo, entre o Governo e sua base aliada, do Governo com a Câmara dos Deputados e, sobretudo, do Governo com a classe trabalhadora.

Um desastre nas relações exteriores. Países como a França, a Alemanha, os países árabes, a Rússia, a China, apenas para citar algumas nações, já censuraram as posições brasileiras no cenário internacional. Nossa soberania está solapada por uma política subserviente aos Estados Unidos e as relações preferenciais com Israel, fora dos marcos do equilíbrio e do bom senso, nos causam problemas comerciais com muitos países da comunidade árabe.

É um desastre do ponto de vista ambiental. Declarações de Bolsonaro e seus auxiliares menosprezando a defesa do meio ambiente causam espanto dentro do país e no exterior e podem trazer gravíssimas consequências. Depois dos crimes cometidos em Mariana e Brumadinho, é ainda mais inadmissível a postura desse Governo.

Um desastre educacional, com a paralisia do Ministério da Educação, que apenas destrói as políticas construídas nos Governos Lula e Dilma, tomando decisões exorbitantes, enquanto a educação brasileira está literalmente à deriva.

Sobretudo, é um desastre econômico e social. A reforma da previdência pretende eliminar o direito dos trabalhadores à aposentadoria, jogando a gestão financeira do sistema para os bancos privados e também a aposentadoria complementar, para que os banqueiros – que são grandes sonegadores da seguridade social no Brasil – usufruam lucros ainda mais gigantescos. Não satisfeito, o Governo quer aprofundar a reforma trabalhista, para retirar os direitos que ainda restam e quer asfixiar financeiramente os sindicatos para que não possam organizar a resistência dos trabalhadores.

A tragédia se evidencia a cada momento, mesmo quando tentamos ter alguma esperança de que as coisas não possam piorar ainda mais.

A péssima notícia mais recente é sobre o desemprego, que não para de crescer, contribuindo para jogar na miserabilidade parcelas cada vez maiores do povo brasileiro. A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,4% no trimestre encerrado em fevereiro, atingindo 13,1 milhões de pessoas, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o instituto, a alta representa a entrada de 892 mil pessoas na população desocupada.

Sem emprego, não há dignidade. Desemprego oprime mulheres. Desemprego gera violência. Desemprego retira direitos. Produz vulnerabilidade.

Não temos alternativa senão lutar e lutar. E nossa luta, tenho certeza, vai acabar recolocando o Brasil nos trilhos do desenvolvimento com justiça social.