Desequilíbrio emocional

Falamos tanto sobre desequilíbrio emocional atualmente, que é importante entender melhor essa situação devido ao aumento significativo de pessoas que desenvolvem esse quadro e que pode ocorrer em qualquer indivíduo no decorrer de sua vida.

Todo indivíduo tem um pensamento a respeito de suas ações, porém nos casos em que ocorre o desequilíbrio emocional, os sentimentos são muito mais intensos e o comportamento ao atuar nas situações é desproporcional, fazendo com que o pensar, o sentir e o agir estejam em total desarmonia, promovendo conflitos.

Claro que todos os indivíduos em algum momento da vida acabam fazendo uma grande tempestade desnecessária para lidar com uma ou outra situação, porém se esses acontecimentos começarem ocorrer com frequência, em proporções aumentadas, sugiro procurar ajuda profissional, antes que os sintomas possam desencadear também no corpo físico.

Vivemos numa sociedade em que as pessoas estão sobrecarregadas de responsabilidades, deveres, metas. As exigências são cada vez maiores e possíveis dificuldades em relacionamentos podem promover desgastes emocionais, e a sensação de sobrecarga e sufocamento promovidas por essas pressões podem estimular e provocar explosões causando desequilíbrio emocional.

Sentir-se estressado é uma reação que várias situações podem promover em um individuo, porém o desequilíbrio emocional é uma forma de reagir a situações diversas que o estresse pode causar nos indivíduos em geral.

Quando o individuo se sente paralisado, se irrita ou sofre constantemente é necessário direcionar maior atenção para compreensão desses fatos, pois pode ser o indício de desequilíbrio emocional, e é necessário caminhar em busca do equilíbrio para controlar-se, no sentido de evitar que essa situação evolua para sentimentos exacerbados de ansiedade e tristeza, falta de concentração, irritabilidade, descontrole, dores do corpo, dificuldade com o sistema digestivo e, consequentemente, quadros patológicos como síndrome do pânico, depressão, fibromialgia, gastrites, refluxos, dentre outros.

O primeiro passo do indivíduo após identificar o quadro de descontrole emocional é reconhecer os fatores externos que influenciam na desarmonia, desequilíbrio. E é extremamente necessário aprender a controlar esses estímulos ambientais para que consequentemente os mesmos não assumam o controle sobre o individuo, discernindo como um termômetro que poderá soar um alerta no momento exato para redirecionar o tempo para o escape, com atividades que promovam bem estar, como; atividades física, diversão,  dentre diversas outras de livre escolha e que ajudarão distrair a mente, liberando endorfina e promovendo o bem estar para o corpo físico.

Na maioria das vezes é difícil o individuo fazer isso sozinho, por isso é muito adequado a procura de uma psicoterapia que poderá auxiliá-lo a resignificar a forma de viver, aprendendo novos recursos para inserir em sua rotina, com autoconhecimento para encontrar sua própria fórmula de regular e equilibrar as emoções, sentimentos e ações.