DIG apreende 100 mil cigarros contrabandeados

100 mil cigarros Policiais apreendem materiais em operação contra contrabando e pirataria. (Divulgação)

Os policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) deflagraram na manhã de ontem uma operação policial contra o contrabando e pirataria. As ações foram realizadas em uma galeria na avenida Armando de Salles Oliveira, no Centro. Foram apreendidos 100 mil cigarros provenientes do Paraguai e 16.035 CDs e DVDs aparentemente falsificados. Nove pessoas que foram identificadas comercializando as mercadorias foram encaminhadas para a sede da delegacia especializada, onde prestaram depoimento ao delegado Demétrios Gondim Coelho e liberados em seguida.

A operação foi realizada na galeria, por volta das 9h30. Os policiais usaram viaturas descaracterizadas para efetuarem as abordagem, pois durante o trabalho de investigação foram informados que algumas pessoas ficavam posicionadas em pontos estratégicos próximo ao local e teriam a função de “olheiros”, (avisaram os responsáveis caso percebessem a aproximação dos policiais),
“Montamos uma estratégia para que os suspeitos pudessem ser pegos de surpresa”, comentou um dos investigadores que participou da operação.

Os materiais foram encaminhados à perícia no IC (Instituto de Criminalística) e, após o laudo, caso se comprove a falsificação, os envolvidos poderão responder por contrabando ou descaminho, além de falsificação de direitos autorais.

Segundo levantamento do FNCP (Fórum Nacional de Combate à Pirataria), o Brasil teve prejuízo de R$ 115 bilhões em 2015 por conta de crimes de contrabando e descaminho. O mercado de tabaco foi o mais afetado: 67,44% dos produtos que entraram ilegalmente no país em 2015 eram cigarros.

Além da sonegação de impostos, há risco de contaminação dos cigarros contrabandeados. De acordo com pesquisa realizada em 2013, pela UERG (Universidade Estadual de Ponta Grossa), foram encontrados insetos, areia, terra, pelos, coliformes fecais, plásticos e fungos em cinco marcas de cigarros frequentemente contrabandeadas para o Brasil.

 

(Cristiani Azanha)