DIG esclarece homicídio na região da Vila Sônia

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) esclareceu o homicídio do lavador de carros Victor Bonifácio Fornieli, 22, assassinado com um tiro no tórax, na madrugada de domingo (18), na região da Vila Sônia. Quem efetuou o disparo foi o rapaz que levou a vítima até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro. Segundo o delegado da DIG e da Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes), Demétrios Gondim Coelho, o acusado alegou que teria efetuado um disparo acidental, ao pedir para ver a arma da vítima.
 
No dia do crime, o suspeito foi tirar satisfação com a vítima, porque teria comprado um celular de Fornieli, mas o aparelho não dava sinal. Portanto, não procede a informação que a vítima foi alvejada por disparos feitos por dois motocicletas, que se aproximaram e atiraram seguidas vezes, como constava no registro policial. A vítima estava em seu veículo na rua Amêndoa.
 
O delegado informou que a vítima foi socorrida pelo acusado até a UPA e este contou uma história que uma pessoa em uma moto Honda Titan emparelhou e efetuou disparos. “Na mesma noite, por volta das 2h, um investigador da DIG se deslocou até o PS para as primeiras investigações. A versão dada não batia com a história e começou a ouvir informalmente o acusado. Anteontem, o suspeito compareceu por vontade própria na delegacia especializada, ao perceber que as investigações estavam avançadas”, disse o delegado.
 
Segundo Coelho, o acusado alegou que a vítima teria mostrado uma arma de fogo — uma pistola 765 Taurus com a numeração raspada — para ele e pediu para pegá-la. O suspeito alega que não sabia que a arma estava municiada, disparou sem querer e acertou Fornieli.
 
A polícia ouvirá testemunhas, confrontará as informações com a perícia balística e provavelmente fará a reconstituição do crime, para verificar se a versão é verdadeira ou fantasiosa. Se o crime for doloso (com intenção de matar), o delegado pedirá a prisão preventiva e relatará o caso em inquérito policial. Se for comprovado que não houve intenção de matar, o acusado responderá por homicídio culposo.