DIG prende autor de morte de casal ocorrida em janeiro

casal Crime aconteceu no dia 22 de janeiro de 2018,no Centro . (Foto: Arquivo/ JP)

Os policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) esclareceu o assassinato de um casal, que teve o corpo incendiado enquanto no quarto de uma residência no Centro da cidade, na manhã de ontem. O homem teve 60% do corpo queimado e a mulher, que estava grávida, 40%. Ambos não resistiram. O autor do crime foi apontado pela polícia como sendo um pintor de 56 anos, com quem a mulher teve um relacionamento. Segundo o delegado da DIG, Demétrios Gondim Coelho, o homem agiu por ciúmes. Ele foi preso pelos investigadores, ontem, em sua residência no Jardim Camargo.

Durante a apuração, os investigadores localizaram várias testemunhas que conheciam o casal. Eles conseguiram chegar a três suspeitos do crime. O pintor e outros dois rapazes.

“Conseguimos localizar o pintor, que teria confessado o crime. Ele alegou que tinha um envolvimento com a mulher que era usuária de entorpecentes. O investigado ajudava a mulher com alimentos e também teria entregado dinheiro para a compra de droga, mas assim que descobriu que seu afeto estaria se relacionando com outra pessoa, ele comprou um galão com combustível em um posto próximo a residência onde o casal dormia e em seguida retornou, jogou combustível nas vítimas e em seguida ateou fogo”, disse o delegado.

Segundo ele, o pintor teve o mandado de prisão temporária decretado pela Justiça, mas o delegado já vai concluir o inquérito policial e pedir a prisão preventiva do suspeito.
O delegado acrescentou que os outros dois investigados não teriam participado do crime, pois chegaram a ir até a residência para cobrar uma dívida de drogas.

OPERAÇÃO — Na manhã de ontem, os policiais civis da DIG realizou uma operação em várias regiões da cidade. Resultando em três prisões. Um dos detidos tinha mandado de prisão por homicídio no Estado do Paraná e outros dois por falta de pagamento de pensão alimentícia. Outro homem foi preso por porte ilegal de arma de fogo, pois foi preso com uma espingarda calibre 28, após o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em Charqueada, além de um adolescente que foi apreendido com 900 pinos vazios, que geralmente são usados para guardar entorpecentes.

O diretor do Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) Antonio Luís Tuckumantel disse que as operações com todas as equipes da Polícia Civil continuarão a ser realizadas em dias e horários alternados.

(Cristiani Azanha)