Dinheiro da Câmara de Charqueada é usado em casas noturnas de Brasília

Apontamento de despesas impróprias foi feito pelo TCE. (Foto: Reprodução)

O vereador de Charqueda, Romero Rocca dos Santos (PSDB), usou dinheiro da Câmara Municipal para pagar gastos em duas casas noturnas em Brasília, durante uma viagem realizada no ano passado. As duas notas de R$ 200 e de R$ 160 foram recebidas sem questionamentos pela Casa após o retorno do tucano. O apontamento de despesas impróprias, no entanto, foi feito pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) durante auditoria.

O vereador Wilson Tietz (Cidadania) que era o presidente do Legislativo à época, disse que recebeu o comunicado do TCE e procurou o vereador, que fez o ressarcimento dos valores aos cofres públicos. Nesta semana, o ex-presidente procurou o Ministério Público e fez uma representação relatando o caso à promotoria. Segundo Tietz, a intenção foi preservar a Câmara de uma eventual responsabilidade e de ter as contas rejeitas devido a atitude do parlamentar.

Segundo ele, a promotoria já acatou o seu pedido e Rocca foi notificado pelo órgão e terá um prazo de 30 dias para apresentar suas justificativas.

Tietz disse que na sessão da próxima terça-feira (6) vai propor que a Câmara tome outras providências com relação ao vereador. “Vou verificar se há elementos jurídicos suficientes para pedir a instauração de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) ou até o pedido de cassação por improbidade administrativa”, afirmou.

Com cerca de 16 mil habitantes, a cidade de Charqueada nunca assistiu a um escândalo dessa natureza, conforme garante Tietz, que está no 6º mandato como vereador. Segundo ele, não é comum vereadores irem a Brasília.

De acordo com a assessoria legislativa da Câmara de Charqueada, para a viagem a Brasília foram gastos R$ 1,1 mil com passagens aéreas e o vereador teve direito a uma diária de R$ 500 para gastos com hospedagem e alimentação.

 

OUTRO LADO
O vereador Romero Rocca admitiu ontem que gastou com refeições nos dois estabelecimentos. Ele disse que foi às casas noturnas a convite de assessores de deputados e que estava acompanhado de outros vereadores de Charqueada, que ele preferiu não dizer os nomes.

O tucano disse que foi a Brasília e ficou dois dias na cidade. Ele contou que não tinha ciência se era um restaurante ou casa noturna mas foi servido refeição. “Eu me alimentei com esse valor e não teve nada além disso” afirmou. Rocca disse que não sabia que as notas não seriam aceitas se envolvesse CNPJ de casa noturna.

“Todo mundo sabe que uma casa noturna com outro tipo de atividade, seria um valor exorbitante, muito alto e esse é um valor de uma refeição comum em Brasília”, afirmou.

Quanto a enfrentar um processo de cassação, Rocca disse que não teme, pois ‘a população está com ele’. “Os parlamentares que estavam comigo me conhecem e sabem da minha índole”, afirmou.

O vereador acrescentou que a viagem a Brasília e os contatos feitos garantiram recursos de R$ 1 milhão à cidade.

 

Beto Silva
[email protected]