Diocese de Piracicaba é alvo de denúncias em reportagem

Matéria associa o dom Fernando Mason ao ex-dirigente da Diocese de Limeira, Vilson Dias de Oliveira (foto:Amanda Vieira/JP)

No ano em que completa 75 anos, a Diocese de Piracicaba é alvo de uma denúncia de evasão de divisas, desvio de doações, favorecimento e acobertamento de casos sexuais envolvendo padres e seminaristas. As acusações, segundo a revista semanal Isto É – de circulação nacional – são direcionadas ao bispo Fernando Mason.

A reportagem associa o bispo de piracicaba, ao ex-dirigente da Diocese de Limeira, Vilson Dias de Oliveira, que renunciou em maio deste ano em meio a uma investigação de extorsão e enriquecimento ilícito. Segundo a revista, Mason “foi denunciado sucessivas vezes ao papa Francisco por suspeitas de evasão de divisas, desvio de recursos doados, favorecimento e acobertamento, inclusive em casos sexuais envolvendo padres e seminaristas”.

A reportagem cita que em 2010 o bispo diocesano de Piracicaba não conseguiu embarcar para Roma do aeroporto de Guarulhos porque estaria com dinheiro não declarado na bagagem. Mason só teria embarcado no dia seguinte. A matéria assinada pelos repórteres André Vargas, Giulio Ferrari e Guilherme Novelli cita também a construção da residência episcopal erguida no condomínio São Luiz.

Segundo a matéria, a casa e o terreno estão avaliados em R$ 3 milhões e foram bancados com o aumento das doações das paróquias. A antiga residência oficial, uma casa de 350 metros de área construída, segundo a reportagem, segue fechada se deteriorando em um bairro nobre da cidade. A matéria de quatro páginas cita ainda o afastamento do pároco da Basílica de Santo Antônio, em Americana, após investigação do Vaticano e um ex-vereador da cidade que teria injetado dinheiro de propina na Diocese de Limeira, da qual Americana faz parte.

OUTRO LADO

Em nota, a Diocese de Piracicaba classificou como calunia e difamação as citações do bispo e alguns padres. “A Diocese de Piracicaba lamenta profundamente, pois são afirmações maldosas, levianas, sem fundamento e sem comprovação; a respeito serão tomadas as providências cabíveis”, informa a nota. Quanto a administração diocesana, a assessoria de imprensa informou que “a Diocese sempre esteve e sempre estará à disposição dos organismos competentes no âmbito eclesial e nas esferas federais, estaduais e municipais, em busca da justiça e da verdade”.

O bispo diocesano e os padres caluniados lembram a palavra do Senhor que manda amar os inimigos, rezar por eles e lhes fazer o bem na verdade”, conclui a nota. Na reportagem, é citado que Mason estava em férias na Itália, segundo a assessoria de imprensa, o religioso retornou há 15 dias.

Beto Silva
[email protected]