Diretor de teatro coordena projeto em Sorocaba

arte Samuel Fernandes é o encarregado da ação formativa A Arte do Encontro. (Foto: Divulgação)

ator e diretor de teatro Samuel Fernandes, natural de São Paulo e residente em Piracicaba há 17 anos, entrou para o mundo do teatro em 2010, e neste ano conseguiu mais uma conquista em sua carreira artística. Em Sorocaba há aproximadamente um ano, Samuel assumiu o núcleo de teatro do município e começará no mês seguinte, o projeto de ação formativa A Arte do Encontro, desenvolvido pela Prefeitura e pela Secultur (Secretaria de Cultura e Turismo) de Sorocaba.

“Estou fazendo licenciatura em teatro na Universidade de Sorocaba (Uniso) e consegui esta grande oportunidade de coordenar este projeto. Foram disponibilizadas 30 vagas e 93 pessoas se inscreveram. Já fizemos a seleção para escolhermos os selecionados e começaremos esse curso no dia 7 de janeiro”, explica Samuel.

O diretor deu alguns detalhes de sua nova turma (a primeira em Sorocaba) com a qual trabalhará no primeiro semestre de 2019. “É um grupo bem diversificado, já que temos crianças, adolescentes e adultos. A oficina foi aberta para maiores de 12 anos e essa foi a idade limite. Em contrapartida temos pessoas de até 50 anos. Alguns já chegam com experiência e isso é importante, já que eles também podem orientar os mais novos neste processo”, destaca o diretor, que ressalta ainda que no final do semestre, uma peça será encenada pelo grupo como parte do encerramento de trabalho. “Ainda não está definida a peça e nem o tema, mas será um processo colaborativo em que os alunos trarão ideias e decidiremos juntos qual o melhor trabalho para se fazer”, disse.

Outro fator destacado por Samuel foi a cidade de Sorocaba em si, já que ele viu mais oportunidades de sua área nesta cidade. “A Secretaria de Cultura do município abraçou o projeto. Acho que um dos fatores que influencia esse maior número de chances para o teatro é o tamanho do cidade (atualmente com 671.186 moradores e a 9ª maior do estado). Vi que aqui as portas se abriram mais”, salientou Samuel.

(Mauro Adamoli Jr)