Dise de Piracicaba prende 2º acusado de latrocínio de idoso

Os policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) prenderam o segundo envolvido no latrocínio do aposentado Alício Leme, 69, que quase teve o pescoço degolado. O acusado de 21 anos foi localizado na manhã de ontem, em uma casa alugada em Piracicaba. O delegado titular da DIG Demétrios Gondim Coelho disse que, após a prisão do segundo envolvido, o caso está praticamente encerrado e esclarecido.
 
“O inquérito sobre a prisão será encaminhado para a DIG de Botucatu, que foi a responsável pela investigação desde o início do crime. Os policiais de Piracicaba atuaram no esclarecimento do segundo envolvido. Assim que concluímos nossa apuração encaminhamos as informações para Botucatu, que conseguiu na Justiça o mandado de prisão temporária”, disse o delegado.
 
De acordo com a investigação, os policiais da cidade, após trabalho de inteligência, localizaram a casa do acusado que começou a residir em Piracicaba, pouco depois do crime, que aconteceu no dia 7 de novembro de 2017 na cidade de Anhembi. 
 
O corpo do idoso foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para a realização de exame necroscópico e só depois foi liberado aos responsáveis para providenciarem o sepultamento que aconteceu dois dias depois no Cemitério de Anhembi.
 
O delegado Demetrios esclareceu que os apontados como envolvidos no latrocínio não assumiram as autorias dos golpes contra a vítima. A faca usada no crime não foi localizada pela polícia. “Consideramos preliminarmente que os dois acusados teriam participado das agressões que terminaram na morte do idoso”, informou. 
 
O rapaz não informou à polícia em quais circunstâncias a vítima foi abordada pelos criminosos ou se teria reagido ao roubo, que resultou em morte. Após prestar depoimento, o acusado de 21 anos foi encaminhado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Piracicaba, onde ficará à disposição da Justiça. O outro suspeito, que tem 18 anos, foi preso recentemente pela Polícia Civil de Botucatu.
 
 
CRUELDADE—A vítima quase foi degolada pelos criminosos e o corpo foi localizado às margens da rodovia Samuel de Castro Neves (SP-147), na altura do quilômetro 206, na zona rural de Anhembi. Os acusados fugiram com o carro da vítima, mas se envolveram em um acidente na entrada de Piracicaba. O veículo caiu em um barranco. Os suspeitos abandonaram o carro e seguiram para Piracicaba, após pegarem carona com um motorista que seguia pela rodovia.
 
O inquérito policial sobre o latrocínio está sendo presidido pelo delegado Geraldo Franco Pires, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Botucatu.