Dise vai ganhar o reforço de um novo cão farejador

Adalberto adestra o Eagle par atuar junto à Dise Foto: Claudinho Coradini/JP Adalberto adestra o Eagle par atuar junto à Dise Foto: Claudinho Coradini/JP

Os policiais civis da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) em pouco tempo terão um reforço no efetivo. O novo integrante já está em “treinamento intensivo” e demonstrou que tem uma energia “infinita” para o trabalho. Principalmente quando o assunto é a localização de entorpecentes, que podem estar em qualquer lugar. A localização é praticamente certa, mesmo que esteja escondida em meio a outros odores ou enterrados. Trata-se do pastor belga de malinois “Eagle” que está adestrado e quase pronto para atuação.

Eagle tem cinco meses de idade, mas demonstra que tem um perfil perfeito para ser um cão de faro de entorpecentes excepcional, segundo o adestrador Adalberto Costa, que tem muitos cursos na área (todos particulares) e policial militar do Canil Central da corporação, em São Paulo.

“O cão se supera a cada treino, pois tem uma facilidade enorme em aprender e gravar aquilo que lhe foi passado. Já foi colocado em todos os ambientes possíveis, em meio a barulho, outros cães, água, mato, terra, ferro velho, praças, rodoviárias e até galinheiro, e demonstrou muita personalidade, mostrou que não tem medo de nada e manteve sempre o foco em procurar sua bolinha, não deixando se distrair com as adversidades”, afirmou o adestrador.

Segundo ele, apesar de jovem, Eagle tem uma energia “infinita”, excelente preparo físico, faro extremamente apurado e fixação total pelo seu brinquedo (bolinha de tênis usada nos treinamentos).

“O cão será uma ferramenta essencial no combate ao tráfico de drogas, pois aquilo que os olhos dos policiais não conseguirem enxergar, ele detectará seu olfato apurado e indicará aos policiais o local em que se encontra”, completou Costa, que considera que o animal esteja pronto entre 12 a 18 meses de idade.

O investigador da Dise, Marcelo Oliveira foi o idealizador do uso do cão nos trabalhos da delegacia especializada, que atua nos 11 municípios atendidos pela Delegacia Seccional de Piracicaba. A unidade será a única delegacia especializada entre os 52 municípios do Deinter-9 (Departamento da Polícia Judiciária do Interior), que passará a ter um cão de faro, que será usado pela Polícia Civil.

A iniciativa de usar o cão foi particularmente dos policiais da Dise que assumiram o compromisso de manter o cão, sendo os todos os gastos cobertos pelos próprios policiais mediante rateio e patrocínio de voluntários, não havendo nenhum veículo financeiro da aquisição e manutenção do cão com a instituição Polícia Civil. “A ideia partiu da nossa equipe, tendo em vista a extrema necessidade de termos esta ferramenta de trabalho. Assim como os criminosos evoluem, nós também evoluímos”, disse o investigador.

 

Cristiani Azanha