Do norte da Europa para o Brasil

Estilo escandinavo preza pelo minimalismo e ganhou a admiração nacional. (foto: Julia Ribeiro)

O design minimalista, tons neutros, linhas retas e organização são premissas indispensáveis do estilo escandinavo, vindo das regiões nórdicas e frias da Europa, mas adaptado para o clima brasileiro e que vem ganhando cada vez mais adeptos por aqui.

O estilo decorativo surgiu no início do século 20, baseado nas características dos artesãos da região que abrange a Suécia, Noruega, Finlândia e a Dinamarca. O “menos é mais” é regra nesse tipo de decoração, geralmente buscada por quem procura um design natural e funcional, no qual o mobiliário atenda as necessidades dos moradores, evitando enfeites, e trazendo a sensação de limpeza e organização. “Viver em uma casa minimalista e com estilo escandinavo é ter a sensação de conforto e bem-estar”, afirma a arquiteta Fernanda Angelo e a designer de interiores Elisa Meirelles.

Para alcançar o tão desejado estilo escandinavo, as profissionais dão dicas infalíveis.

 

Opte pelas madeiras em tons claros. (Fotos: Julia Ribeiro)

TONS NEUTROS

As cores claras prevalecem na decoração escandinava, com uma paleta de cores neutras muito influenciada pelo clima frio e pelos escuros dias invernais do norte da Europa. As paredes e mobiliários buscam auxiliar na iluminação dos cômodos, enquanto, apesar das cores serem muito parecidas, é possível variar nas texturas e estampas em almofadas, tapetes, vasos e outros itens da decoração. “Dessa forma, há uma quebra na neutralidade do ambiente de uma maneira elegante e atemporal”, comenta Fernanda.

 

Decoração privilegia os lugares bem iluminados (Fotos: Julia Ribeiro)

ILUMINAÇÃO

A incidência de luz é realmente uma grande preocupação no estilo, que privilegia os lugares bem iluminados. Além das paredes claras, janelas amplas contribuem com a entrada de luz natural. Em ambientes espaçosos, o efeito é leve e sereno.  “O resultado é uma ambientação agradável, confortável, simples e tranquila”, diz a arquiteta.

 

MATERIAIS

Na hora de escolher os móveis, opte pelas madeiras em tons claros, que colabora com a neutralidade escandinava. Essa escolha também pode se estender para os pisos, o que remete ao ambiente mais rústico das cabanas na neve. “No quarto, por exemplo, a madeira pode ser posicionada na cabeceira da cama e no criado-mudo. Considero o carvalho americano e o pinus os tipos ideais de madeira”, indica Elisa, designer de interiores.

O clima rústico e natural também é incentivado pela escolha de estofados em tecidos como o linho, o algodão e a lã, todos de origem artesanal. Tapetes de pelos podem tornam o ambiente confortável, enquanto as mantas entram como aconchegante ornamento nas camas e sofás.

 

REVESTIMENTO

Para revestir a parede, o destaque fica por conta dos ‘tijolinhos’, ainda pensando em garantir um ar rústico e natural. “O revestimento mais utilizado é o tijolinho, tanto pintado de branco, como o natural em marrom, dando um ar mais campestre”, conta a arquiteta Fernanda.

 

Plantas ornamentam até os banheiros. (foto: Julia Ribeiro)

PLANTAS

Para completar tudo com maestria, não esqueça das plantas. A decoração com folhagens vem com tudo e é tendência nas melhores exposições de decoração ao redor do mundo.

Típicos da decoração escandinava, os vasos de plantas podem estar por toda a casa: na sala, em cima da estante, em pendentes na varanda e até no banheiro. São pontos coloridos que se destacam em meio a paleta branca. “As plantas trazem vida para a casa”, pontua a arquiteta.

As recomendações das profissionais são espécies como o lírio da paz, a violeta e o cacto. Escolha o seu preferido e se divirta redecorando!

 

Mariana Requena
[email protected]