DO QUE VOCÊ TEM MEDO?

Medo de água, do escuro, de dirigir, do futuro, de pessoas, de falar em público, de que algo aconteça de errado com seu filho, etc. São muitos os tipos de medo, considerado uma emoção básica, um sentimento natural, bem como um poderoso mecanismo de defesa, não só em seres humanos, mas em diferentes formas de vida.

Nos seres humanos, porém, é mais complexo, uma vez que surge aí o fator “imaginação”.

Até certo ponto, tudo normal, o problema é quando o medo começa a prejudicar nosso bem-estar ou então nos impede de fazer coisas que precisamos ou queremos e, neste momento, é preciso buscar solução, equilíbrio.

Na maioria dos casos, o medo tem a ver com nosso passado, em situações onde nos foi “informada” alguma situação perigosa (sendo ela real ou não), entretanto, nosso cérebro codifica como problema real e nos “protege para sempre”, nos mantendo longe daquela situação.

O agravante é que, na maioria dos casos, generalizamos casos específicos, transportando para vários outros (mesmo não perigosos) ou então aumentamos o tamanho deles, imaginando um desenrolar trágico.

Entender o medo e saber analisá-lo já é um grande passo para vencê-lo. Veja, caro leitor, que interessante esta história:

Um rei recebeu certo dia dois lindos pássaros de presente, os mais lindos que ele já tinha visto. Ele entregou suas aves para serem treinadas. Algum tempo depois, recebeu a informação de que somente um conseguira alçar voo. O outro não havia saído do seu galho desde o dia que tinha chegado ali. O rei então chamou os curandeiros e feiticeiros de toda a região, mas ninguém conseguia fazer o pássaro voar. Após muitas tentativas, o rei pensou: ‘Talvez eu precise de alguém mais familiarizado com a vida no campo para compreender a natureza do problema”. Então ele gritou para a sua corte: ‘Encontrem um fazendeiro‘. No dia seguinte, o Rei se emocionou vendo o pássaro em pleno voo, próximo ao palácio. Então, disse à sua corte: ‘Traga-me a pessoa que fez esse milagre.‘ A corte rapidamente localizou o fazendeiro, que veio e pôs-se diante do rei. O rei lhe perguntou: ‘Como você o fez voar?‘ Com a cabeça baixa, o fazendeiro disse ao rei: ‘Foi muito fácil, Sua Alteza. Eu simplesmente cortei o galho onde o pássaro estava sentado.‘

Todos nós nascemos para voar, para fazer o melhor que podemos. Mas às vezes não temos coragem, ficamos sentados em nossos galhos e escravos de nossos medos, caprichos ou zona de conforto.
O medo atrai mais do que você está tentando evitar e o seu dano é muito maior do que o que você de fato tem medo!

O segredo é ter atitude e neutralizar a crença de que “não podemos”, lembrando que qualquer conhecimento só é válido quando se transforma em comportamento.
Você está com medo ou acredita que pode? Você realmente sabe qual é o seu potencial?

O medo nos protege de vários perigos, mas quando ele nos limita ou nos leva a evitar situações que gostaríamos de viver ou vencer, passamos a ser obedientes ao medo e não à nossa vontade. Mas, quem está no controle da sua vida, você ou o medo?

Podemos muito, mas é preciso autoconhecimento. Vamos sair do galho do medo para alçarmos grandes voos!
Questione o seu medo, antes que ele não lhe dê espaço para viver.

‘Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo… não a ausência do medo‘. (Mark Twain)

(Francisco Ometto Júnior. Professor e Psicanalista)