Dólar cai com exterior e precificando ajuste em juros após IGP-10 e ata do Copom

O dólar recua ante o real n manhã desta quinta-feira, 15, em linha com o viés negativo da moeda americana no exterior e precificando a leve baixa dos juros de curto e médio prazos na esteira do IGP-10 de fevereiro (+0,23%) inferior à mediana das projeções do mercado (+0,32%) – e da ata do Copom considerada “dovish” (suave) por agentes do mercado. Na semana passada, o Copom cortou a taxa Selic em 0,25 ponto, para 6,75% ao ano.

Lá fora, o dólar segue fraco em meio a expectativas de expansão contínua do déficit orçamentário do governo dos Estados Unidos e o crescimento do déficit comercial do país.

Na ata do Copom, divulgada mais cedo, o Banco Central afirma que a frustração de expectativas com reformas pode afetar prêmios de risco e elevar a inflação. Além disso, ressalta que o risco ligado a reformas se intensifica no caso de reversão do cenário externo favorável.

Ao mesmo tempo em que os membros do comitê avaliaram sob que circunstâncias seria apropriado interromper processo de cortes do juro básico, o documento repete que a conjuntura econômica prescreve política monetária estimulativa e que os membros do colegiado debateram em que contexto haveria espaço para corte moderado adicional em março.

Para Pablo Spyer, diretor da corretora Mirae, “o BC deixa a porta entreaberta para um potencial novo corte, caso a inflação venha baixa. Ou seja, dependendo do desenrolar da inflação, existe a possibilidade de um novo corte da Selic”.

O fluxo cambial será monitorado e pode haver ingressos financeiros uma vez que o Tesouro faz leilão de LTN e LFT nesta quinta (11h30). No mesmo horário, o Banco Central leiloará swap cambial para rolagem de vencimentos em março, com oferta de US$ 475 milhões para os vencimento em 02/05/2018, 02/07/2018 e 01/10/2018.

No exterior, as commodities operam praticamente “de lado”, com pouca tração no caso do petróleo, em meio aos feriados do Ano-Novo Lunar na China, que começam na sexta-feira, 16, mas os mercados já fecharam nesta quinta. Nos EUA, serão divulgados a inflação ao produtor (PPI) às 11h30 (pelo horário de Brasília) e a produção industrial de janeiro (12h15).

O diretor da Correparti Jefferson Rugik, diz que o dólar ante o real acompanha o movimento externo desde a abertura, mas não descarta um viés de recuperação ao longo da sessão em função da forte baixa de quarta-feira, principalmente se os números americanos de inflação ao produtor (PPI às 11h30) e da produção industrial (12h15) ajudarem.

Às 9h42 desta quinta, o dólar à vista caía 0,16%, aos R$ 3,2155, enquanto o dólar futuro de março recuava 0,22%, aos R$ 3,2205.