Dólar recua ante o real com ajuda externa e do IPCA-15

O dólar recua ante o real, na esteira do enfraquecimento nesta sexta-feira, 23, da moeda norte-americana em relação a divisas ligadas a commodities no exterior. A inflação mais fraca no País também ampara expectativas de mais uma redução do juro básico em março, ajudando a enfraquecer levemente os juros curtos e por tabela o dólar, diz um gerente de mesa de derivativos de uma gestora de recursos.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) de fevereiro mostrou alta de 0,38%, de 0,39% em janeiro, vindo em linha com a mediana das estimativas do Projeções Broadcast. Com o resultado, o IPCA-15 acumulou nos 12 meses encerrados em fevereiro alta de 2,86%. No ano, o índice registrou aumento de 0,77% até fevereiro. A variação no acumulado do ano é a menor desde a implantação do Plano Real. Em fevereiro do ano passado, o IPCA-15 tinha subido 0,54%.

Segundo o mesmo gerente, a queda do risco Brasil (CDS de 5 anos) de 0,23%, para 157,095 pontos por volta das 9h18 também ajuda na precificação da taxa de câmbio. Há ainda perspectiva de ingressos de fluxo do exportador, afirma.

“O dólar abriu aqui basicamente acompanhando o exterior, onde a moeda americana perde levemente de seus pares e das divisas commodities de forma mais acentuada”, disse Jefferson Rugik, diretor da Correparti.

Às 9h46, o dólar à vista caía 0,18%, aos R$ 3,2431, enquanto o dólar futuro de março perdia 0,18%, aos R$ 3,2450. No mercado de moedas ligadas a commodities, o dólar caía ante o peso chileno (-0,14%), a rupia indiana (-0,30%), o peso mexicano (-0,10%), o rublo (-0,10%) e o rand (-0,71%), mas subia frente o dólar australiano (+0,16%) e a lira turca (+0,05%).