Dólar recua ante real e outras divisas ‘commodities’ com otimismo sobre economia

O dólar desacelerou a queda intraday na manhã desta quinta-feira, 4, mas segue abaixo do suporte informal dos R$ 3,250, diante do viés negativo da moeda americana ante outras divisas de países exportadores de commodities no exterior, segundo o gerente de mesa de derivativos de uma gestora de recursos.

A fonte afirma que os investidores mantêm nesta manhã o otimismo da véspera com a perspectiva da economia global, após os dados econômicos dos Estados Unidos na quarta-feira, 3, e dos fortes PMIs da China, zona do euro e Alemanha divulgados entre ontem e hoje.

A tendência é de os mercados ficarem em compasso de espera pelo relatório de empregos (payroll) norte-americano nesta sexta-feira (5); eles também devem monitorar a movimentação política local, mas sem grandes sobressaltos, avalia o mesmo gerente. Estão no radar uma reunião do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nesta manhã, além do relatório de emprego no setor privado nos Estados Unidos da ADP, referente a dezembro, que será conhecido às 11h15 (no horário de Brasília).

“O mercado local se desapegou da crise política e do desajuste fiscal interno, por isso, a Bovespa sobe e o dólar cai”, afirma. O fluxo comercial é positivo nesta manhã e também contribui para a queda, diz ele.

Às 9h37 desta quinta, o dólar à vista caía 0,26%, aos R$ 3,2345. O dólar futuro de fevereiro recuava 0,09%, aos R$ 3,2450. Em relação a outras divisas ligadas a commodities, o dólar norte-americano caía ante o dólar australiano,, o peso chileno, peso mexicano, rupia indiana, entre outras.