Dólar sobe ante real com Previdência, pesquisas, Fed e payroll no radar

O dólar opera em alta na manhã desta segunda-feira, 29, em linha com o viés positivo do exterior. Após ter acumulado perdas de 5,34% em janeiro, investidores ajustam posições, mirando ainda a formação da última taxa Ptax do mês, na quarta-feira (31).

“A briga de ptax na quarta-feira está no radar, mas hoje o que está pegando é o dólar forte lá fora e a volta para a realidade brasileira. Depois da euforia com a condenação do ex-presidente Lula em segunda instância no TRF-4, o investidor volta a se preocupar com a reforma da Previdência e com as próximas pesquisas eleitorais para a Presidência”, disse o diretor da Correparti Jefferson Rugik.

Lá fora, a moeda americana se fortalece ante moedas emergentes e ligadas a commodities após registrar perdas na semana passada, à medida que os investidores se atentaram à questão imigratória nos Estados Unidos, que pode resultar em uma nova paralisação do governo de Donald Trump caso não haja um acordo entre republicanos e democratas até 8 de fevereiro.

À espera da reunião do Federal Reserve na quarta-feira, que marcará a despedida de Janet Yellen da presidência da instituição, o dólar tenta uma recuperação hoje. Estará no foco nesta segunda-feira o índice PCE, que fornecerá pistas sobre o fôlego da inflação no país. Além do FOMC, a semana traz ainda os dados do emprego (payroll), na Sexta-feira (2).

Às 9h38 desta segunda, o dólar à vista subia 0,88%, aos R$ 3,1661. O dólar futuro de fevereiro ganhava 0,41%, aos R$ 3,1675. Em Nova York, o euro caia a US$ 1,2394, de US$ 1,2410 no fim da tarde de sexta-feira. O dólar estava estável em 108,75 ienes, de 108,76 ienes no fim da tarde de sexta-feira. A moeda americana ganhava também frente ao dólar australiano (+0,33%), peso chileno (+0,20%), peso mexicano (+0,51%), a lira turca (+0,67%) e o rand sul africano (+1,09%).

No Relatório Focus, divulgado mais cedo pelo Banco Central, a projeção dos economistas do mercado financeiro para a moeda americana no fim de 2018 caiu de R$ 3,34 para R$ 3,30 e, para fim de 2019, permaneceu em R$ 3,40. A libra recuava a US$ 1,4070, ante US$ 1,4140 no fim da tarde de sexta-feira.