Dólar sobe ante real em linha com exterior em meio à queda de commodities

O dólar opera em alta frente o real nesta sexta-feira, 20, alinhado ao desempenho positivo da moeda americana no exterior em meio à queda do petróleo nesta manhã e ao recuo de 2,03% do minério de ferro na China. Os juros futuros operam em baixa, na esteira do IPCA-15 de abril, de 0,21%, abaixo da mediana das projeções do mercado, ajudando a conter a correção assim como a percepção de que o Banco Central poderá intervir no câmbio, se a volatilidade for alta.

Pode pesar contra alta ainda possíveis ingressos de fluxo de investidores estrangeiros que participaram da Oferta Inicial de Ações (IPO) da Notredame intermédica, o 1º na B3 em 2018, que movimentou R$ 2,7 bilhões nesta quinta-feira, 19, e cuja estreia da ação na bolsa será na próxima segunda-feira, dia 23.

Na semana que vem, a Hapvida, outra operadora de planos de saúde, também deve precificar sua oferta na Bolsa, e a demanda já supera em três vezes o número de ações ofertadas, além do Banco Inter e o grupo Dass, que administra marcas de calçados esportivos no Brasil.

Operadores do mercado dizem que a volatilidade das commodities seguirá no radar, porque se os preços retomarem a valorização recente podem influenciar no ritmo de elevação dos juros dos Estados Unidos, atraindo investidores para o dólar. Internamente, segue um pano de fundo de cautela com o cenário eleitoral indefinido e expectativas por pesquisas eleitorais.

Às 9h33 desta sexta-feira, o dólar à vista subia 0,29%, aos R$ 3,4004. O dólar futuro para maio ganhava 0,47%, aos R$ 3,4035. Na renda fixa, o vencimento de DI mais negociado, para janeiro de 2021, recuava a 7,87%, de 7,91% no ajuste de quinta-feira.