Duas chapas disputam presidência do Clube Cristóvão Colombo domingo

Duas chapas disputam neste domingo (1º) a presidência do Clube Cristóvão Colombo. Além de eleger o novo presidente e o vice, os sócios com direito a voto também escolherão 26 novos conselheiros, sendo 20 titulares e seis suplentes. A eleição vai das 9h às 15h. Cerca de 5 mil membros têm direito a voto. A chapa vencedora assumirá no dia 1º de maio. 
 
A diretoria do Cristóvão é eleita a cada dois anos. Porém, são raras as vezes em que houve chapa de oposição. Nos últimos 20 anos, apenas trêz vezes houve disputa, sempre com a chapa de situação saindo vencedora. Enquanto a atual chapa de sucessão afirma que pretende continuar a política de austeridade financeira, os opositores questionam uma suposta ‘falta de transparência‘ e o gasto em itens não especificados nos balanços financeiros. 
 
Na chapa da situação, Evolução Colombina, o candidato a presidente é Paulo Sérgio Durazzo, com o vice Jorge Nascimento. Implantar uma gestão financeira e informatizar os sistemas do clube são algumas das propostas dos sucessores do atual presidente Carlos Augusto Chorilli e do vice Ari Camolesi Junior. 
 
“Queremos implantar a gestão financeira, informatizar todo o Cristóvão, que está com sistemas um pouco ultrapassados. Investir no sistema de controle e gestão para deixar um legado para o clube, porque isso é muito importante. Tudo integrado e mantendo a austeridade financeira”, explicou Durazzo. 
 
O vice Nascimento afirmou que o clube se adequou a atual situação econômica do país. “Obviamente o Cristóvão passou por uma fase ruim como todo o país passou. Todos os clubes do Brasil acompanharam a crise, mas hoje com a administração austera conseguimos reduzir muito o custo do Cristóvão, reduzindo folha de pagamento, custos de eventos sociais”, disse o vice. 
 
Já a chapa RenovAÇÃO e Transparência, de oposição, tem como candidato a presidente Fausto Sylvestre da Rocha, com Ronaldo Rabello de vice. A principal ideia do grupo é aumentar a transparência da gestão dos recursos do clube. “Queremos, obviamente, renovação e transparência, coisa que o sócio não tem nesse clube há mais de 20 anos. Chamar o sócio para falar, saber quais são as dificuldades principais”, afirmou Rocha. 
 
A situação financeira do Cristóvão é uma das preocupações da chapa oposicionista. De acordo com balanço financeiro divulgado por Rocha, o orçamento do clube para esse ano mostra um déficit de R$ 1,5 milhão. Algumas das despesas do clube também são questionadas. “Eu votei contra porque não teve apresentação de uma contrapartida em relação ao déficit, sobre o que poderia ser feito. O clube tem a obrigação de apresentar a planilha orçamentária analítica, tem que abrir todos os itens para saber o que foi gasto. No orçamento do segundo semestre de 2017, tem gastos diversos de R$ 400 mil. Esses gastos diversos não estão abertos, não sabemos como foi gasto, não sei para onde foi. Isso é proposta da nossa chapa. Afixar em local visível a planilha orçamentária analítica, com todos os itens gastos dentro do clube”, afirmou Rocha.