Duplicação da SP-304, uma conquista de todos

A entrega da duplicação da SP-304, no trecho entre Ártemis e São Pedro, pelo governador Geraldo Alckmin, é resultado de uma luta coletiva, da nossa região, e acaba com o estigma de que a Geraldo de Barros é a ‘rodovia da morte’. Por mais de 10 anos, moradores das cidades envolvidas, lideranças políticas, representantes da sociedade civil e imprensa se uniram para reivindicar a melhoria.
 
A rodovia Geraldo de Barros é a segunda maior em volume de tráfego entre as nove rodovias que acessam Piracicaba, com 12.184 veículos por dia, segundo levantamento do DER (Departamento de Estradas de Rodagem).
 
A duplicação, esperada há décadas, é de extrema importância para todo o Aglomerado Urbano de Piracicaba, formado por 23 cidades, principalmente para aqueles que trafegam diariamente entre Piracicaba, Águas de São Pedro e São Pedro.
 
Além de facilitar o acesso de moradores e turistas às estâncias, beneficia o transporte de cargas e o escoamento da produção agrícola da hidrovia, do Terminal Intermodal de Santa Maria da Serra, para o setor industrial.
 
Como deputado federal representante do Aglomerado Urbano de Piracicaba, fiz questão de acompanhar de perto todos os passos da obra, desde o anúncio, feito pelo governador Geraldo Alckmin, em 2011, em Águas de São Pedro, passando pelas licitações, contratação das empresas e execução. Isso porque a rodovia já fazia parte dos nossos projetos.
 
Em 1993, quando iniciamos o trabalho como prefeito, a primeira preocupação era acabar com conceito de que Piracicaba era fim de linha. Na época, uma das mais fortes reivindicações da população era a duplicação das nossas rodovias para São Pedro, Limeira, Rio Claro e Rio das Pedras — defasadas e mal conservadas.
 
Em maio de 1994, um ônibus que transportava estudantes de Rio Claro até a Unimep chocou-se com um caminhão, provocando a morte de 29 estudantes. A pressão pela duplicação aumentou e, no início do ano seguinte, foi autorizado o início das obras na rodovia Fausto Santomauro. Um ano depois, a Piracicaba-Limeira entrou na programação de obras rodoviárias do Estado.
 
Neste meio, estava a duplicação da Piracicaba-São Pedro, mas que, por problemas relacionados à alteração do projeto, acabou sendo realizada até Ártemis, ficando o restante para uma segunda fase.
 
Em 2007, um abaixo-assinado, com mais de 42 mil assinaturas foi enviado ao então governador José Serra, solicitando sua complementação. Na ocasião, acompanhei a comitiva de representantes de Piracicaba, Águas de São Pedro e São Pedro.
 
Das reivindicações rodoviárias que fizemos desde a década de 1990, faltava apenas cumprir a complementação da Piracicaba-São Pedro. Nem a rodovia dos Bandeirantes, inicialmente projetada para os lados de Paulínia, e que conseguimos trazer para a região de Piracicaba, e o prolongamento e duplicação da rodovia do Açúcar Comendador Mario Dedini demandaram tanto tempo para serem obtidos. Mas insistimos e temos a satisfação de colher o resultado deste trabalho conjunto pelo bem comum.
 
 
Antonio Carlos Mendes Thame é deputado Federal pelo PV-SP