É preciso preparo e qualificação para ser dono do próprio negócio

Business concept. Business people discussing the charts and graphs showing the results of their successful teamwork. Selective focus.

De acordo com pesquisa realizada pela Amway Global Entrepreneurship Report, empresa especialista em pesquisas sobre empreendedorismo, 58% dos brasileiros deseja ser dono do seu próprio negócio. O sonho se reflete em números de negócios, já que o Sebrae-SP registrou a criação de 11,1 milhões no país, isso só nos últimos 3,5 anos.

Criar uma empresa é muito diferente de mantê-la e fazê- la prosperar, já que o levantamento do Sebrae-SP aponta também para o fechamento de 27 entre 100 empresas paulistas até o primeiro ano, e outras 58% baixam as portas até o quinto ano de existência. Portanto, antes de abrir as portas de um novo negócio é importante ter em mente os reais motivos pelos quais empreender
pode ser vantajoso.

Para Vivian Wolff, Coach de Vida e Carreira pelo ICI (Integrated Coaching Institute), é necessário conhecer bem a área em que se pretende atuar com a nova empresa e que essa seja realmente algo do interesse do empreendedor.

“Analise as condições do mercado, público-alvo, localização e, principalmente, se é mesmo o seu perfil. Ser empreendedor não é o glamour que muitos pensam e não representa garantia de sucesso. Você terá que trabalhar o dobro do que trabalhava no seu emprego até sua empresa engatar, começar a se pagar e a gerar lucro. Terá que tomar decisões difíceis, descobrir como
conseguir o investimento para seu negócio e como vai se sustentar enquanto o projeto não gera receita. Poucos pensam sobre isso e, de repente, o fluxo de caixa entra em pane”,
explica Vivian.

Não dá para gerir um negócio apenas com o objetivo de lucrar e ganhar dinheiro, mas sem avaliar se possui o perfil dinâmico e aberto a riscos que deve ser inerente ao empresário, e nem abrir uma empresa apenas porque não aguenta mais seu emprego ou seu chefe. Essas motivações podem ser certeiras para o fracasso.

No caso de quem está desempregado, avaliar as economias e realizar um bom planejamento são indispensáveis. “Verifique se seu projeto de negócio é realmente interessante. Muitas vezes, e com a boa intenção de te motivar, as pessoas não lhe dirão a verdade sobre suas ideias. Portanto, fi que atento. Se não está recebendo nenhum feedback negativo ou questionador, reflita”, pontua Vivian.

Depois que encontrar as motivações corretas em si mesmo, o empreendedor deve pesquisar muito bem o mercado e garantir que existe público interessado no produto ou serviço que ele pretende oferecer, pois essa atitude diminui os riscos de que ele se fruste. “Muitas empresas se baseiam na estratégia de criar uma necessidade inexistente ou, em outras palavras, usam o ‘as pessoas não sabem que precisam de algum produto ou serviço até você convencê-las de que sim’. Essa premissa já foi defendida por grandes executivos, e às vezes até funciona, mas para a maioria não acontece com essa facilidade”, ressalta a especialista.

Mariana Requena