Eclipse lunar marca aniversário de 50 anos da missão Apollo 11

Fenômeno ocorre quando Sol, Terra e Lua se alinham, e a Terra faz sombra sobre o Satélite. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Na noite de ontem, quando o mundo celebrou 50 anos desde que a missão Apollo 11 decolou da Terra rumo à Lua, o Brasil pode ver um eclipse lunar parcial. O fenômeno ocorre quando Sol, Terra e Lua se alinham, e a Terra faz sombra sobre o satélite. A duração total do fenômeno de ontem foi de 5h33, em quatro fases em diferentes horários – 15h43, 17h01, 19h52 e 1h17 (horário de Brasília).

De acordo com o astrônomo Nelson Travnick , o eclipse lunar é quando a Terra faz sombra na lua. No angulo de ontem a Lua teve 65% de sua luz bloqueada. “Os eclipses lunares são mais frequentes que os solares por conta da posição em que a lua e a Terra se encontram”, afirmou.

Travnik explicou que somente existem eclipses lunares quando a lua está cheia” “Esse ano já houve eclipse total no começo do ano e encheu de pessoas aqui no observatório” observou.

Enquanto os eclipse solares necessitam de algum tipo de filtro ou equipamento para serem observados sem causar danos à visão, o eclipse lunar pode ser visto a olho nu sem nenhum problema.

Quando há eclipse, como o de ontem, o Observatório Astronômico de Piracicaba Elias Salum abre as portas para a população.

ECLIPSE SOLAR

Segundo Travnik, nos eclipses, a Lua em sua rotação se coloca entre o Sol e a Terra. “Já fui em três eventos onde houve eclipse total. Já fui perto da Amazônia, Urugai e Alemanha. É pura emoção, você vê um dia claro e bonito e de repente vira uma noite estrelada, é algo de mais impressionantes que se tem. Não tem nada que se compare ao eclipse do Sol”, afirmou o astrônomo.Há menos de 15 dias, a Lua passou entre o Sol e a Terra, “tampando” sua luz. Em 2 de julho, um eclipse solar total levou milhares de turistas ao Chile, de onde foi possível acompanhar o momento em que o dia virou noite. Diversas regiões do Brasil também puderam observar o fenômeno.

“Como tudo é uma questão de angulação e rotação, os astrônomos podem prever quando vão acontecer novos eclipse de até quinhentos anos no futuro”, destacou.

Este foi o último eclipse lunar do ano. O mundo verá o próximo eclipse total da lua apenas em 2021 – com possibilidade de observação parcial no Brasil.

Outros fenômenos parciais acontecem antes, mas no país um eclipse total plenamente visível ocorrerá apenas em 16 de maio de 2022.

Beto Silva
[email protected]

Larissa Anunciato
[email protected]