,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • 'Ela vem e abala todas as estruturas', diz Tico Santa Cruz sobre Pabllo Vittar
  • Diálogos musicais pelo mestre húngaro András Schiff
  • 'Total Eclipse of the Heart', de Bonnie Tyler, fica em 1º lugar no iTunes

Paulinho diz que avisou Temer que, se governo não negociar, terá grande derrota
Agencia Estado
19/04/2017 11h01
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (Solidariedade/SP), o Paulinho, avaliou nesta quarta-feira, 19, que o relatório da Reforma da Previdência tem problemas graves que precisam ser alterados antes da votação. Ao chegar para a sessão de leitura do relatório na comissão especial da Câmara que analisa a matéria, Paulinho advertiu que, se o governo não negociar, tomará uma derrota estrondosa na votação da proposta. "Avisei ao presidente Michel Temer", disse o sindicalista e presidente do Solidariedade. Segundo ele, com uma derrota será o caos no mercado financeiro, levando à alta do dólar, queda forte da Bolsa de Valores e perda de credibilidade do País. Entre os principais problemas do parecer do relator da reforma, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), Paulinho citou as mudanças nas regras de transição. Para ele, as alterações introduzidas pelo relator são de difícil compreensão da população e acabaram criando, na prática, três tipos de regras diferentes. "Português ficaria com inveja dessa proposta de transição. Vai ter que ser matemático para calcular", ironizou. Paulinho disse que é inaceitável a idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens, como foi mantida pelo relator. Ele defende a idade mínima de 60 anos para homens e 58 anos para mulheres, mas admite que poderia "até aceitar" ser de 62 anos para homens e 60 anos para mulheres. O presidente da Força Sindical também criticou a fixação da idade de 68 anos para o acesso do benefício de assistência social, o BPC. "É uma sacanagem!", disse.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar