,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • The Who faz história no Palco Mundo
  • Rock In Rio termina com sequência de peso no Palco Mundo
  • Veja o que rolou no penúltimo dia do Rock in Rio

BNDES: Conselho é instância adequada da JBS para escolher administrador interino
Agencia Estado
13/09/2017 15h02
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Após a prisão preventiva do presidente do frigorífico JBS, Wesley Batista, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) defendeu a realização o quanto antes da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) convocada pela própria instituição de fomento, que detém 21,3% do capital da empresa. Para o BNDES, "o Conselho de Administração da companhia é a instância adequada para escolher um administrador interino nos termos da Lei 6.404/76 (Lei das S.A.)". Em nota, o BNDES se disse favorável à substituição definitiva de Wesley Batista. "Qualquer que seja o desenrolar destes fatos, contribuiria para o melhor interesse da companhia, e para a sua preservação e sustentação, o início de uma renovação de seus quadros estatutários, inclusive com a abertura de um processo seletivo para a escolha de um novo CEO para a empresa em caráter definitivo", diz o texto, divulgado nesta quarta-feira, 13, pelo BNDES. Segundo o banco de fomento, a prisão de Wesley não muda sua posição pela realização da AGE, proposta justamente para apreciar o pedido de que a JBS entrasse com uma ação de responsabilidade contra seus controladores, incluindo Wesley e seu irmão, Joesley, também preso. A AGE seria no último dia 1º, mas foi suspensa, por decisão judicial, por 15 dias. "O BNDES informa ainda que recorreu da decisão judicial que suspendeu a realização da assembleia por 15 dias no último dia 1º de setembro. O Banco entende que a assembleia deve acontecer o quanto antes e sem o conflito de interesses que seria caracterizado pelo voto dos controladores, questão que foi levantada pela BNDESPAR, em conjunto com a Caixa Econômica Federal, e acolhida pelo Judiciário de 1ª instância em decisão liminar", diz a nota, ressaltando que somente sem o voto dos controladores "as decisões poderão ser tomadas na assembleia de acordo com o melhor interesse da companhia". O BNDES reforçou ainda que as prisões recentes não mudam o posicionamento na AGE. No último dia 14, o banco de fomento divulgou em seu site o seu voto para a AGE.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar