,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Canil Municipal permanece com lotação máxima
  • Operação percorre 37 estabelecimentos
  • Matheus Erler nomeia gestores

Lei ineficaz
Ude Valentini
13/01/2017 10h44
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Não dá para acreditar que precisamos de uma lei específica para coibir trotes a serviços essenciais à sociedade, como Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência — telefone 192), Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) pelo 190, Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto — telefone 115), Corpo de Bombeiros (193), Polícia Rodoviária Federal (191), Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes — telefone 194), Defesa Civil (199) e Guarda Civil (151). A lei, que foi sancionada em outubro de 2016, segundo a Procuradoria Geral do município é ineficaz, já que nenhuma multa foi aplicada neste período.

Segundo a lei, quem realizar trotes está sujeito a multa no valor de R$ 1.000, quantia que pode ser dobrada em caso de reincidência.

Conforme a norma, enquadra-se na definição de trote qualquer ligação telefônica, redes sociais ou comunicação por outras vias disponibilizadas pelos serviços públicos de emergência e que resulte em frustrações pela inexistência do evento anunciado.

A multa deve ser aplicada aos proprietários das linhas telefônicas utilizadas e vale para cada trote registrado. Na verdade, toda a questão do trote passa pela falta de educação.

E educação, a gente aprende em casa. Quem aplica trotes não tem consciência do dano que está causando a outras pessoas.

Enquanto equipes se deslocam para atender uma ocorrência mentirosa, fatos verdadeiros podem custar danos — e até a morte — de quem necessita dos serviços.

Se nem a lei dá conta de coibir esses abusos, quem é que poderá deter essa prática ridícula e completamente sem graça? Passar trotes é o cúmulo da falta de noção de alguns cidadãos.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

28/12/2016 10h58 Ude Valentini Mesmo prato?
26/12/2016 11h54 Ude Valentini Sempre é Natal
09/12/2016 11h19 Ude Valentini Vai entender...
01/12/2016 10h40 Ude Valentini E agora, José?