,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Inadimplência do consumidor cresce 5,8%
  • Roubos e furtos caem no primeiro semestre do ano
  • Umidade do ar cai e deixa cidade em estado de atenção

Estranho, uai
Sabrina Franzol
29/06/2017 12h02
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

É no mínimo estranha a aprovação, por parte de nossos nobres edis da Câmara, do projeto de decreto legislativo 17/2017, de autoria do vereador Marcos Abdala (PRB). Vamos aos fatos.

A matéria consentida na semana passada na Casa de Leis institui a Medalha de Mérito Musical José Rico Alves dos Santos, denominada Medalha Musical José Rico.

A peça honorífica foi criada, conforme justificativa do próprio vereador, para “homenagear os cantores de nossa querida Piracicaba”, devendo ser outorgada aos artistas da música de raiz, sertaneja ou caipira. O que causa espanto é que o município é um celeiro — como muitos dizem por aí — destes artistas da música de raiz, caipira, entretanto, a medalha leva o nome de um cantor nascido em São José do Belmonte (PE) e que morava em Americana (SP) antes de morrer. Sim, a honraria a ser concedida a quem se destaca em Piracicaba no “âmbito musical da roça” leva o nome de um cantor de outra cidade, mesmo a “oferta” de celebridades caipiras sendo grande por aqui.

Não é a relevância de José Rico que está em questão no momento, até porque ele, que morreu em 2015 e fez dupla com Milionário (Romeu Januário de Matos), merece o reconhecimento quanto ao trabalho desempenhado durante os mais de quarenta anos de carreira.

É referência para muitos músicos que ainda estão por aí levando o delicioso som caipira aos quatro cantos do mundo, mas por que não escolher uma personalidade da “nossa querida Piracicaba” para instituir a medalha? Arquivos históricos dão conta de que a primeira “dupla caipira” brasileira tenha, inclusive, se formado em Piracicaba. Foi Mandi (Manoel Rodrigues Lourenço) e Sorocabinha (Olegário J.de Godoy).

Apesar do apelido, Olegário de Godoy nasceu na Noiva da Colina. E tem mais. Cezar & Paulinho, sendo os dois naturais de Piracicaba; Juninho Caipira, filho de Nhô Chico, cantor e compositor piracicabano autor de mais de 300 composições; Pedrinho, também nascido na Terra da Pamonha, que faz dupla com o pai, Pedro...

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

20/07/2017 11h24 Rubens Vitti Jr. Talento nato
18/07/2017 05h00 André Thieful Aposta única
06/06/2017 12h54 Danielle Gaioto Falta muito