,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Todos os presidentes que ganharam filmes no País
  • Retrospectiva de Rodrigo Andrade está entre as dicas de exposições da semana
  • Ocimar Versolato morre aos 56 anos em São Paulo

Falta muito
Danielle Gaioto
06/06/2017 12h54
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Ainda que em ritmo lento, o mercado tem esboçado recuperação.

O melhor indicador que tivemos até agora foi o do nível de emprego, divulgado pelo Ministério do Trabalho, que apontou aumento nas contratações de profissionais com carteira assinada em Piracicaba no mês de abril.

Também tivemos recuperação na indústria da região, que voltou a empregar mais do que demitir no mesmo período após vários meses de queda.

Outro bom indicador, como mostra o JP hoje, é o volume de venda de veículos zero quilômetro, que cresceu 19% na comparação de maio deste ano com maio do ano passado e avançou significativos 31% na relação com abril deste ano.

Um número interessante e que foi impulsionado, segundo gerentes de concessionárias, por lançamentos e ações estratégicas das montadoras.

A injeção de recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) também pode ter contribuído parcialmente para alavancar essa movimentação.

Pelo que vemos, o cenário vem mudando pouco a pouco, mas ele poderia ser melhor caso o clima político do país não envolvesse tanta incerteza e tantos escândalos.

A recente delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista trouxe à tona situações que chocaram a maior parte do país e colocaram em xeque o presidente Michel Temer (PMDB), que já responde a processo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre prática de abuso do poder político e econômico da chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014 — duas situações que podem tirá-lo do cargo. Esse “cai não cai” — já que Temer disse que não irá renunciar — traz inúmeros problemas para o país, pois “trava” investimentos e, consequentemente, afeta a economia.

O fato é que, embora números indiquem certa melhora, o país ainda padece em uma das mais longas crises já enfrentadas. Qualquer número que indique crescimento traz certo alento e ânimo, mas é preciso muito mais que isso para deixarmos para trás as agruras da crise.

Só a força de trabalho e de vontade da população, infelizmente, não são suficientes para que o Brasil retome o caminho do crescimento.

Um cenário político mais limpo e com políticas públicas mais claras favorecerá sobremaneira o país.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

07/12/2017 15h07 Sabrina Franzol Transparência
05/12/2017 13h39 Sabrina Franzol Dualidade
30/11/2017 14h32 André Thieful Tardiamente
29/11/2017 11h54 Rodrigo Alves Humor feminino