,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Carrie Fisher mandou uma língua de boi para produtor que assediou sua amiga
  • Presidente do Inep abre 10ª Jornada Pedagógica
  • Santa Casa é 1º hospital em aplicativo da Fiesp

Insistência
André Thieful
17/10/2017 14h24
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A Polícia Rodoviária encerrou mais uma operação, dessas que são realizadas em feriados prolongados. Aumento do efetivo nas estradas, radares, bafômetros e viaturas mais uma vez foram empregados com mais rigor desde a tarde de quarta-feira. Tudo, na realidade, para garantir a segurança do usuário das rodovias. 
 
Curioso notar que quem deveria se preocupar mais com a própria segurança e a segurança de seus familiares, além claro, da segurança de terceiros, é o condutor do veículo. Infelizmente, em muitos casos, não é isso o que se constata. De acordo com a corporação, nas rodovias da região, as infrações aumentaram 46,28% na comparação com a mesma operação realizada em 2015, visto que em 2016 este feriado caiu em uma quarta-feira. Não é um número qualquer. 
 
Leve-se em consideração ainda que a falta do uso do cinto de segurança responde pelo maior número de infrações, condição que corrobora a falta de preocupação do motorista consigo e com o seu próximo. Não são poucos os casos de condutores ou passageiros que são lançados para fora do veículo em acidentes justamente por não estarem usando o cinto de segurança. Morre por descuido, por irresponsabilidade, por nada. 
 
Um veículo pode se transformar facilmente em uma arma, mesmo que não seja essa a intenção. É preciso mais respeito as leis e mais educação no trânsito para que a segurança seja preservada. Se as regras são obedecidas não há multas, a possibilidade de acidente acaba reduzida drasticamente e o destino continua sendo aquele que fora escolhido. Educação no trânsito diz muito sobre quem está no volante, sobre quem de fato essa pessoa respeita e o valor que dá à vida. As multas aplicadas são só um alerta de que muita gente ainda não aprendeu a obedecer regras tão claras quanto um semáforo com a luz vermelha acesa. 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

10/10/2017 18h21 André Thieful Um sonho barrado
07/10/2017 10h00 André Thieful Ousadia
05/10/2017 15h50 Sabrina Franzol Saúde em foco