,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Emicida celebra a carreira e o bom momento do rap com a gravação do 1º DVD
  • Sequência de 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' ganha data de estreia
  • Em DVD, a face roqueira de Gal Costa

Degradação que preocupa
André Thieful
10/11/2017 13h29
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
O JP traz nesta edição uma nova denúncia de descarte irregular de produtos químicos. É o segundo caso em 15 dias. Dessa vez, resíduos do que parece ser algum tipo de óleo foram despejados em uma nascente no Jardim Potiguar. De acordo com um morador do bairro, essa não é a primeira vez que esse tipo de situação é observada. Primeiro foi óleo de cozinha e, agora, parece ser algum fluído automotivo. 
 
No dia 25 de outubro, cerca de 40 tambores com produtos químicos foram despejados irregularmente em uma estrada rural que liga o bairro Santa Rosa ao Godinhos. No local, nossa reportagem encontrou os tambores com capacidade para 100 litros com restos de produtos químicos despejados na terra, nas proximidades de uma mata. 
 
Mais recentemente, no último dia 5, o JP noticiou levantamento de um grupo de moradores de Santa Olímpia, que encontrou 15 nascentes totalmente degradadas. Apenas duas delas vertiam água.
 
Todas essas situações precisam ser analisadas com mais cuidado e preocupação. Medidas precisam ser adotadas para combater o descarte irregular. Outras devem ser pensadas, planejadas e executadas para recuperar nascentes. Na natureza, não há casos isolados. Ações de preservação podem resultar em benefícios além daqueles para as quais as iniciativas foram originalmente propostas. 
 
A cidade, que recentemente apareceu no topo do ranking nacional de saneamento básico, precisa olhar mais atentamente para problemas apenas considerados menores. Campanhas de conscientização sobre os riscos do descarte irregular de produtos químicos devem ter o mesmo empenho daquele que deverá ser empregado na recuperação de nascentes.
 
Invariavelmente, a ação humana resulta em danos à natureza. Não há novidade nisso. Mas, é preciso ter consciência que é possível mudar a paisagem. Áreas degradas podem ser recuperadas, mas não sem trabalho, fiscalização, investimento e tantas outras iniciativas necessárias à preservação ambiental. 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

11/11/2017 11h05 André Thieful Respiro
08/11/2017 16h29 André Thieful Ficha limpa
05/11/2017 11h20 Sabrina Franzol Efeito dominó