,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Campanha do Agasalho movimenta escolas
  • Rosana Fessel, a Maria da Penha de Piracicaba
  • Moradores de rua abandonam o vício e tentam dar a volta por cima

Com saúde não se brinca
Da redação
08/05/2018 17h22
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A área de saúde é uma das mais sensíveis em qualquer município. Por mais que se invista no setor, problemas sempre existem. Nas duas últimas semanas, o Jornal de Piracicaba voltou a receber reclamações de usuários. Desta vez, as queixas são quanto à demora para marcar consultas com especialistas. Segundo pacientes ouvidos pela reportagem, há casos em que a demora para agendar consulta com oftalmologista chega a dois anos (!)
 
Reportagem de Raquel Soares nesta edição mostra que o torneiro mecânico Ezequiel da Silva Duarte aguarda há quase dois anos e três meses por uma consulta com oftalmologista. Além disso, a filha dele, de 14 anos, estava aguardando há três meses para fazer um Raio-X de pulmão para confirmar o diagnóstico de asma. 
 
Outro paciente ligou na redação para reclamar que foi advertido pelo médico porque seu óculos estava com o grau incorreto, constatado ao fazer exame de vista para renovar a Carteira Nacional de Habilitação. Imagine só o risco que esse motorista está correndo ao dirigir com o óculos com o grau errado.
 
A Secretaria de Saúde alega que tenta solucionar esse problema de demora no agendamento de consultas para as especialidades. Pelo menos em relação ao equipamento de Raio-X quebrado, o aparelho já foi consertado. Menos mau. 
 
Somente quem precisa do serviço público de saúde sente na pele as dificuldades de um sistema que, se não estiver em pleno funcionamento, pode trazer transtornos a muitas pessoas. A área de saúde é essencial e vital para a população. Se as pessoas procuram por atendimento é porque precisam dele e não têm condições de pagar por planos de saúde.
 
O Jornal de Piracicaba já publicou uma infinidade de reportagens nos últimos anos sobre o atendimento deficitário na área de saúde. Recentemente, os problemas se concentravam na distribuição de medicamentos, como na farmácia de alto custo. Mas sempre surgem denúncias na redação sobre a demora no atendimento nas Unidades Básicas de Saúde.
 
Todas essas reclamações deveriam ser vistas com lupa pela administração, para tentar solucionar os gargalos na área de saúde. A demora é comum também na rede privada de saúde. E o ideal é que essas queixas sejam apresentadas na Ouvidoria da Saúde para serem solucionadas. Medidas têm de ser tomadas. Mesmo porque os usuários reclamam que o quadro de saúde pode piorar. E com saúde não se brinca...
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

18/05/2018 18h00 Da redação À luz de velas
11/05/2018 17h50 Da redação Cenas de filme
27/04/2018 16h11 Da redação Grudado no rio
25/04/2018 17h37 Jardim Botânico