Ekyperalta completa 45 anos

Ekyperalta mantém viva a cultura carnavalesca de Piracicaba (Foto: Divulgação) Ekyperalta mantém viva a cultura carnavalesca de Piracicaba (Foto: Divulgação)

Fundada em 1974, o Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Ekyperalta completou, na última semana, 45 anos de atividades. Com as cores laranja, preto e branco, a escola tem o objetivo de manter vivas as tradições carnavalescas em Piracicaba.

Foi em 21 de abril de 1974 que a Ekyperalta deu seu primeiro suspiro de samba, e é uma das únicas escolas remanescentes daquele período que, até hoje, continuam a agitar o carnaval piracicabano. A agremiação surgiu por meio de gincanas de rádio organizadas na época, que divertiam os moradores da cidade com a competição das escuderias Ekypelanca, Ekypechato e Ekyperalta – e o sucesso desta última a transformou em escola de samba e agita os foliões até hoje.

Cássio Silveira é o atual presidente da escola de samba, vem de São Paulo, experiente no Carnaval da Vai-Vai, e se diz muito grato por ver o trabalho funcionar há tanto tempo. “Estamos em um período sem carnaval de rua, mas, apesar disso, assumi a presidência da Ekyperalta em 2011 e, até 2015, conquistamos dois campeonatos e dois vice-campeonatos. Isso é muito gratificante: ver que o seu trabalho dá resultados”, afirma. “Nada é feito sozinho. O pessoal da escola é muito dedicado e sou muito feliz em fazer parte de um pouco desses 45 anos”.

Ainda não existe agenda de comemorações preparada mas, como no aniversário de 40 anos da escola, em que uma grande feijoada foi preparada para integrar a comunidade, Silveira afirma que esse aniversário não passará em branco. “Fazemos 45 anos e essa idade permanece até abril de 2020, então nós estamos projetamos uma comemoração bacana para o próximo ano”, diz.

CARNAVAL LOCAL

O carnaval de rua de Piracicaba não acontece desde 2017, por conta de cortes de gastos e dificuldade em repasse para organização do evento.

Com recursos advindos, em grande parte, da arrecadação independente das agremiações, os desfiles têm previsão de retorno para o próximo ano. Mas, apesar das dificuldades, as escolas da cidade não ficaram paradas nos três anos de seca, inclusive a Ekyperalta. Além do Carnaval Popular, que acontece no Engenho Central, o “Pira Caipira”, evento junino das escolas e o Dia Nacional do Samba, em dezembro, também movimenta as agremiações.

“A ideia é, gradativamente, retornar com os desfiles do carnaval de rua. Todas as escolas da cidade, não só a Ekyperalta, trabalham nesse sentido”, explica Cássio. “Estamos todos muito empenhados em trazer o retorno do Carnaval Piracicabano de uma forma muito legal”.

Mariana Requena