Em 4 meses, roubo de veículos e estupros caem em Piracicaba, diz SSP

Ação integrada das polícias é um dos motivos na redução dos índices criminais (Foto: Claudinho Coradini/JP)

As estatísticas dos índices criminais divulgados na última sexta-feira pela SSP (Secretaria de Estado de Segurança Pública) revelam uma queda em alguns crimes praticados em Piracicaba quando comparado o primeiro quadrimestre deste ano, com o mesmo período de 2018.

Entre os destaques estão os roubos de veículos e os casos de estupro que caíram, no comparativo entre os dois períodos, 42% e 66%, respectivamente.

Apesar de apresentar queda e um ano para outro, o último mês de abril apontou o maior número de ocorrência de roubo de veículos na cidade, foram 17 registros no último mês ante as 12 ocorrências de março e as dez de fevereiro.

Já os casos de estupro, a redução é bem maior quando comparados os quadrimestres. De acordo com os dados da pasta, foram 12 estupros nos primeiros quatro meses de 2018, ante quatro casos registrados nesse quadrimestre. Nas estatísticas estão incluídos os registros de estupro de vulneráveis.

O delegado Seccional de Piracicaba, Américo Sidnei Rissato classifica a queda dos índices criminais como reflexo do resultado do trabalho conjunto com os demais órgãos que compõem o sistema de segurança pública e a política de trabalho ‘tolerância zero’.

O policial destaca o entrosamento entre as policias Civil e Militar, com a Guarda Civil, o Ministério Público, a Justiça e a SAP (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária).

Estão falando a mesma língua, seguindo na mesma direção. Só assim, unidos, conseguimos alcançar nossos objetivos que é o de manter a segurança dos piracicabanos e demais cidades da região sob controle”, destacou.

O entrosamento entre as forças policiais e outras instituições de segurança citado pelo seccional é defendido pelo diretor do Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) Kleber Altale.

Segundo o delegado, de modo geral todas as ações têm contribuindo para a redução dos índices de criminalidade, não só em Piracicaba, mas em todas as cidades da região. “É o trabalho preventivo feito pela PM (Polícia Militar), Guarda Civil e o de investigação realizado pela Polícia Civil, tudo controlado para que haja melhoras em todos os índices”, destacou.

Beto Silva