Em 6 meses casos de violência contra mulher são 82% do total registrado em 2018

Em Piracicaba, nos seis primeiros meses do ano foram registrados 81 flagrantes ante os 98 do ano passado inteiro. (foto: Claudinho Coradini/JP)

Em seis meses, o número de flagrantes registrados pela Polícia Civil de casos de violência contra a mulher em Piracicaba representa 82% do total de ocorrências nos 12 meses de 2018. De acordo com os números fornecidos pela subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Piracicaba, nos seis primeiros meses deste ano foram registrados 81 flagrantes pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) ante os 98 do ano passado.

A advogada Luana Bruzasco de Oliveira, membro da Comissão dos Direitos da Mulher da OAB, destaca que entre 2017 e 2018 houve uma redução de 120 para 98 ocorrências. “Podemos notar que houve uma redução entre 2017 e 2018, porém, 2019 já conta com um número alto de flagrantes ainda no primeiro semestre”, apontou.

De acordo com os números da instituição, em 2017 foram instaurados 1005 inquéritos policiais para investigação de crimes contra as mulheres, no ano seguinte foram 881 procedimentos. Neste ano, nos seis primeiros meses foram 439 inquéritos instaurados pela especializada.

Hoje, no aniversário de 13 anos da Lei Maria da Penha, apesar de avanços pontuais verificados na segurança com relação à mulher, a OAB ainda trava lutas para ampliação dos direitos. “Via de regra o atendimento ainda deixa muito a desejar. Falta estrutura para atendimento especializado, uma formação humanizada para quem atende a mulher e os filhos”, avalou a advogada ao se referir ao atendimento à mulher vítima de violência em Piracicaba.

Luana também destacou a necessidade da DDM 24 que, segundo ela, ‘é uma demanda antiga e muito necessária’.

Para a professora e coordenadora de atividades complementares da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas, não houve diminuição da violência contra a mulher, pelo contrário, os números mostram um aumento de registro de casos de violência. O Ligue 180, por exemplo, registrou 749.024 atendimentos em 2015 (em todo país). Comparando com os atendimentos realizados em 2014 (485.105), são mais de 263 mil novos casos em um ano, segundo o Panorama da Violência Contra as Mulheres no Brasil, do Senado Federal. Segundo ela, esse aumento de casos foi esperado na entrada em vigor da LMP, há 13 anos, pois sobre a violência em si sempre há uma cifra negra, ou seja, uma fração de ocorrências que existem, mas que não chega ao conhecimento das autoridades.

 

Beto Silva
[email protected]