Em 7 meses, casos de dengue são 200 vezes maior que em 2018

Até sexta-feira (23), eram 1.991 casos; em 2018, de janeiro a julho, foram dez ocorrências da doença. (foto: Claudinho Coradini/JP)

O total de casos positivos de dengue registrados em Piracicaba nos sete primeiros meses deste ano são quase 200 vezes mais do que as ocorrências confirmadas pela Vigilância Epidemiológica, no mesmo período de 2018. A cidade vive uma epidemia da doença, com quase dois mil casos positivos. De acordo com dados da Secretaria de Saúde, até a última sexta-feira (23), eram 1.991 casos da doença. Em 2018, de janeiro a julho, foram notificadas dez ocorrências da doença, número também abaixo das estatísticas de 2017, quando 32 pessoas foram infectadas no mesmo período.

Neste ano, os casos de dengue superam todos os números de diagnósticos positivos registrados ao longo dos dois anos. Em 2018, nos 12 meses foram 13 casos e no ano anterior, 63. Na semana passada, a Secretaria de Saúde registrou a segunda morte por dengue em Piracicaba ocorrida neste ano. A pasta informou que diante do quadro da doença na cidade, segue com ações de combate ao Aedes – mosquito transmissor da dengue e também da zika e chikungunya.

O secretário Pedro Mello, reforça que a população precisa ter consciência da gravidade da dengue e do número de casos registrados na cidade, colaborando assim com os agentes durante as ações do CCZ permitindo, por exemplo, o acesso dos mesmos às residências. “Além disso, a população precisa ter uma ação pró-ativa, retirando diariamente os criadouros e perfurando os pratos e plantas de casa a fim de evitar o acúmulo de água, onde os ovos eclodem e as larvas se desenvolvem”, ressaltou.

Segundo Mello, a saúde prepara novas ações educativas (material informativo e didático, como banners e panfletos explicativos) com o objetivo de levar à população uma linguagem simples e de fácil entendimento. “Para tocar a população, criamos o tema ‘Quem cria o mosquito é você!’, com o objetivo de despertar nas pessoas a responsabilidade em manter a casa limpa e sem criadouros do mosquito”, explicou. O trabalho terá início em setembro e se estenderá às igrejas, centros comerciais, terminais de ônibus, pontos estratégicos etc. Um carro de som percorrerá os principais corredores comerciais com as informações claras e diretas alertando a população a dengue.

Beto Silva
[email protected]