Em 9 meses, patrulha fez mais de 6 mil rondas

exposição Exposição Penhas reunirá bonecas no terminal. ( Foto: Divulgação)

Em pleno sésculo 21, mulheres continuam a ser vítimas de violência. Números oficiais de mulheres que estão sob proteção do Estado, mostram que em Piracicaba, somente de janeiro a setembro de 2018, foram expedidas 262 medidas protetivas pelo Fórum, o significa uma por dia, em média. Essas medidas são encaminhadas para a Guarda Civil de Piracicaba, que realizou no período, 6.057 rondas monitoradas a mulheres vítimas de violência e seis prisões em flagrante de agressores que descumpriram as medidas, por meio da Patrulha Maria da Penha. Balanço divulgado pela corporação, aponta que desde a criação da patrulha, em abril de 2017, até agora foram expedidas 537 medidas protetivas, 1.977 rondas e nove prisões.

Esse universo pode ser maior se considerarmos que muitas não denunciam os agressores. Para chamar a atenção da sociedade para esse problema, o município promove 16 dias de ativismo: Piracicaba elabora mobilização para o fim da violência contra a mulher.

A campanha que começa hoje (27), é realizada em mais de 160 países desde 1991, a partir de 25 de novembro, Dia Internacional da não violência contra a mulher e termina no dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. A programação em Piracicaba contará com palestras, curso, exposição e caminhada. Hoje, simultaneamente, às 14h, haverá palestra e curso. No Cram (Centro de Referência de Atendimento da Mulher) será realizado encontro do Grupo de estudos “Rede de Atendimento e Proteção à Mulher” e palestra das técnicas do Cram, que fica à rua Coronel João Mendes Pereira, 230, no Nova América. No Centro de Ressocialização Feminino de Piracicaba, o Fórum Permanente de Empreendedorismo Feminino promove aula com professor Marcelo Bongagna. Amanhã (28), será a abertura da exposição Penhas, que fica no TCI (Terminal Central de Integração) até domingo (2). As bonecas, chamadas Penhas, estarão distribuídas pelo Terminal Central. Cada uma delas conta um pouco de violência praticada por maridos ou namorados da vítimas.

Como parte das ações, em outubro Via Ágil lançou a campanha Me respeite, em parceria com a Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), Cram, Conselho Municipal da Mulher, Guarda Civil, MobCidades, Promotoras Legais Populares, Smads (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social) e Fussp (Fundo Social de Solidariedade de Piracicaba).
Denúncias podem ser feitas na Guarda Civil (153), Central de Atendimento à Mulher em situação de Violência (180) e DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), telefone 3433-5878.

(Eliana Teixeira)